Homenageado escritor Ruy Duarte de Carvalho

Homenageado escritor Ruy Duarte de Carvalho

O escritor angolano Ruy Duarte de Carvalho foi, nesta segunda-feira, homenageado, na âmbito da 16ª edição do projecto Escritor do Mês, numa promoção do Centro Cultural Portguês. Durante uma hora e em dois dias de cada mês, a obra e a biografia do autor escolhido são revisitadas e analisadas. A próxima sessão acontece a 20 de Maio.
O evento, dirigido a estudantes universitários e pré-universitários, pretende através da leitura colectiva de extractos das respectivas obras e biografias do autor uma interacção com os leitores.
A homenagem visou promover a leitura e divulgar as obras de autores de língua portuguesa pelo Centro Cultural Português.
Ruy Duarte de Carvalho, angolano de origem portuguesa, nasceu em Santarém em 1941. Doutorou-se em Antropologia pela École des Hautes Études en Sciences Sociales de Paris. Passou parte da sua vida na província do Namibe, acompanhando o seu pai, aventureiro, caçador de elefantes no deserto do Namibe.
Viveu em Moçambique e estudou cinema na Inglaterra, regressando a Angola em 1963. Concluiu o curso de Regente Agrícola e de Realizador de Televisão. Trabalhou na Televisão Pública de Angola, como realizador. Como cineasta dedicou-se ao cinema etnográfico. Foi professor universitário na Universidade de Luanda e professor convidado na universidade de Coimbra e de S. Paulo.
Possui uma vasta e diversificada obra publicada que inclui poesia, ficção, argumentos para cinema, ensaio e literatura de viagem. Foi membro fundador da União dos Escritores Angolanos. Recebeu o Prémio Nacional de Literatura em 1989.
Em 2008, o Centro Cultural de Belém realizou um ciclo sobre a sua vida e obra, o primeiro que dedicou a um autor de língua portuguesa.
Faleceu em 2010, na Namíbia, onde residia.
Autor referência da língua portuguesa, publicou, entre outras obras, “Vou lá visitar pastores (1999), sobre os Kuvale, sociedade pastoril do sudoeste de Angola.
Na poesia, salienta “Chão de Oferta” (1972), “A Decisão da Idade” (1976) e “Observação Directa” (2000).
É ainda autor de obras de ficção “Como se o mundo não tivesse Leste”, (1977 e 2003), Vou lá visitar pastores (1999) adaptado ao cinema e “Os Papéis do Inglês” (2000).