“Caminha-se para uma maior estabilidade económica”, considera Massano

O BNA está decidido a conseguir a estabilidade dos preços e a protecção do sistema financeiro, afirma o seu governador, José de Lima Massano, na mensagem que escreve no relatório e contas do Banco Central respeitante a 2018

A economia interna caminha para uma maior estabilidade com a implementação do Programa de Estabilização Macroeconómica, a redução da taxa de inflação e a obtenção de um excedente fiscal global, incluindo o serviço da dívida, considera o governador do Banco Nacional de Angola, José Massano, na mensagem que encima o relatório de contas do banco central. O BNA está empenhado na reforma do mercado cambial e na prudência. Massano destaca o abandono da paridade fixa da moeda nacional (com a Kwanza a depreciar cerca de 45% desde o início do ano face ao euro e mais de 42% face ao dólar), bem como reforçar o sistema bancário contra eventuais riscos.

O BNA elevou o nível mínimo do capital social e fundos próprios regulamentares que os bancos comerciais devem manter. “O objectivo principal desta medida foi dotar o sistema bancário de capital suficiente para suster quaisquer choques relacionados com os riscos de mercado. Em 2019, daremos continuidade a este processo por via de uma Avaliação da Qualidade dos Activos de 12 bancos que concentram 90% dos activos do mercado”, explica o governador do “Caminha-se para uma maior estabilidade económica”, considera Massano arq uivo banco central. Realce ainda para o Fundo de Garantia de Depósitos, que acautela os depósitos dos consumidores face a problemas do seu banco e para o estabelecimento de serviços mínimos bancários.

O governador do BNA salienta a participação da instituição na Avaliação Nacional de Risco e colaboração com o Banco Mundial, no sentido de se seguirem os padrões internacionais no domínio da prevenção do branqueamento de capitais e combate ao financiamento ao terrorismo. Também, por dentro, o BNA centrou, no último exercício, a sua atenção sobre os riscos a que está exposto com a implementação da Política de Gestão do Risco e Critérios de Gestão de Risco. O objectivo desta é, refere José de Lima Massano, “fornecer as directrizes para uma gestão sistemática, compreensiva e coordenada dos riscos do BNA”, adiantando que, “simultaneamente”, o banco elaborou e tem em implementação a Política de Compliance e Política de Prevenção BC/FT, visando adequar a conformidade da instituição com procedimentos e sistemas automatizados de controlo, com o objectivo de prevenir, detectar e combater os riscos de Compliance, Branqueamento de Capitais e Financiamento do Terrorismo. Massano espera que, com o programa de ajustamento económico, acordado entre as autoridades angolanas e o Fundo Monetário Internacional (FMI), se atinja o equilíbrio nas contas fiscais e externas e, “consequentemente a necessária estabilidade macroeconómica para se promover o crescimento económico”. A missão do BNA será perseguir a estabilidade dos preços e contínua solidez do sistema financeiro.

error: Content is protected !!