Escassez de combustível paralisa cerca de seis mil táxis em Luanda

Presidente da Nova Aliança de taxistas, Geraldo Wanga, considera “uma vergonha” o comunicado da Casa Civil do Presidente da República e ameaça paralisar toda a frota da sua associação, caso a situação não fique resolvida dentro de 24 horas

A escassez de combustível que se regista no país há semanas afectou cerca de seis mil táxis da Nova Aliança de taxistas de Angola (ANATA), só em Luanda, correspondentes a 50 por cento do total de viaturas ‘azuis e brancas’ que operam na capital. A revelação foi feita a OPAÍS pelo presidente da ANATA, Geraldo Wanga, que relatou a existência de um mal-estar entre os donos das viaturas e os taxistas que entenderam parar por não estarem a conseguir cumprir a conta diária exigida pelo patrão.

“Normalmente, a conta do patrão varia de 17 a 20 mil kz, e nestes dias é impossível atingir esta cifra, porque começa-se a trabalhar às 6 horas e às 14 vai se cumprir a fila de combustível até depois das 23h”, disse Wanga, acrescentando que, independentemente da escassez, a entidade patronal mantém os preços. Para o interlocutor, depois de identificado o problema, era necessário definir prioridades, sendo que os primeiros seriam as indústrias e os transportes colectivos, em detrimento dos transportes pessoais, tendo em conta o índice de abstinência laboral que se regista.

Questionado sobre a subida do preço da corrida do táxi, disse que neste período têm recebido inúmeras reclamações e, apesar de reconhecer que é ilegal, afirma ser uma das maneiras que alguns encontram para compensar o tempo perdido nas bombas. Geraldo Wanga entende que trabalhar nestas condições é um castigo para a classe, tendo realçado que os pais e encarregados de educação têm a sorte e uma preocupação a menos nesta fase, porque os seus educandos estão a beneficiar de pausas pedagógicas. “Já imaginou se o ensino geral estivesse em aulas”? questionou.

‘Greve’ em 24 horas

O entrevistado atira-se contra os comunicados da Sonangol e da Casa Civil do Presidente da República, explicando que os argumentos invocados não convencem a população. “O comunicado da Presidência é uma vergonha e falta de respeito para com o actual Executivo. Como é que querem moralizar a sociedade se entre eles não há diálogo”? questiona. Segundo ele, com este comunicado mostrou-se que não há entendimento entre os diversos titulares de cargos públicos, que deviam ser o espelho para que se tenha uma iniciativa de diálogo na sociedade. Geraldo Wanga ameaça paralisar todos táxis pertencentes a ANATA, caso dentro de 24h não se tome uma decisão de se priorizar o abastecimento de viaturas de transporte colectivo.

leave a reply