Bebés transportados às costas têm mais saúde física e mental

Bebés transportados às costas têm mais saúde física e mental

Os bebés transportados às costas das mães, uma prática cultural em Angola, são propensos a ter mais saúde física e mental, além de criarem mais empatia com as suas mães.

A revelação foi feita ontem, na cidade do Huambo, pela investigadora Olívia de Carvalho, da Universidade Portucalense (Portugal), quando apresentava o tema “Identidade, Cultura e Educação”, durante o 1º simpósio internacional de Psicologia, denominado a Psicologia e a Cultura de Si.

Tal prática, conhecida por “kery bay kery” gera, sobretudo no primeiro ano de vida do bebé, maior segurança, conforto, desenvolve a personalidade e o sentimento de maior tranquilidade de ligação com a mãe, disse a pesquisadora, segundo noticiou a Angop.

Tendo em conta estas vantagens, a psicóloga Olívia de Carvalho sugeriu que esta prática angolana fosse generalizada em outros lugares do mundo, sublinhando, ainda, o facto da mesma reduzir o stress nas mães.

Explicou que os diferentes contextos em que as crianças nascem têm impacto na sua futura actuação, defendendo, por isso, a necessidade da preservação dos bons hábitos culturais da sociedade angolana.

No simpósio, organizado pelo Instituto Superior Politécnico Sol Nascente (privado), foram abordados temas como a “influência da cultura na formação da consciência do cidadão, problemas de aprendizagem e as diferentes faces das tecnologias de informação e comunicação na era pós moderna: rupturas éticas à construção da autenticidade”.