Editorial: Contradição

Ao mesmo tempo que o país vai sendo chocado com notícias de assassinatos de mulheres pelos seus parceiros, neste ano, as direcções provinciais afins vão anunciando reduções da violência doméstica. Agora é o Cuanza- Norte, com a directora do Gabinete Provincial de Acção Social, Família e Igualdade no Género, Vitoria Francisco, a referir que “trezentos e seis casos de violência doméstica foram registados, durante o primeiro trimestre deste ano na província, menos 227 comparativamente a igual período de 2018”. Talvez a realidade seja teimosa e politicamente incorrecta e não queira acompanhar o optimismo oficial. A mesma tendência já tinha sido assinalada no Huambo, no Bié e no Zaire, por exemplo. Talvez se deva redefinir o conceito de violência doméstica.

error: Content is protected !!