Marginais “viram-se” contra as casas de Deus

Marginais “viram-se” contra as casas de Deus

A Paróquia de Nossa Senhora de Fátima, exSão Domingos, foi assaltada na noite de Sábado por marginais, um dia antes da realização da tradicional Procissão das Velas organizada anualmente em homenagem à sua padroeira. Os marginais terão conseguido chegar ao cofre que fica localizado no altar, com algum valor monetário, e um castiçal de ouro, segundo apurou OPAÍS. Este facto não impediu a realização dos cultos dominicais.

Os responsáveis da paróquia denunciaram o sucedido à Polícia Nacional, para a abertura do competente processo-crime e descoberta dos supostos marginais. Uma equipa do Laboratório Central de Criminalística, acompanhada por especialistas do Serviço de Investigação Criminal (SIC), realizaram ontem a peritagem ao local. Este processo ocorreu no intervalo entre celebrações litúrgicas, o que provocou um ligeiro atraso numa delas. Até ao fim da tarde de ontem não foi possivel obter do SIC Luanda informações preliminares sobre a ocorrência.

Um filme no templo

Há seis dias, ocorreu no templo sede da Igreja Kimbanguista, localizada na Avenida Pedro de Castro Van-Dúnem Loy, no Kilamba Kiaxi, em Luanda, uma acção digna de um filme de Hollywood. Um grupo de seis marginais, armados com pistolas, invadiu a Igreja durante uma vigília e roubou 60 telemóveis pertencentes aos fiéis e ainda e 42 mil kwanzas.

Sem temor, os prevaricadores ordenaram aos fiéis a entrega dos meios e dinheiro, sob ameaça de morte. A saída deles do local acabou por não ser fácil. Alguns dos fiéis rebelaram-se e conseguiram agarrar um deles e entregaram-no à esquadra da Polícia mais próxima, onde, por ora, se encontra detido.

Os efectivos do SIC de Luanda foram accionados e trabalham afincadamente para capturar os restantes membros do grupo, a fim de serem responsabilizados
criminalmente pelos órgãos de justiça.

Um ano depois do assalto à IURD

Há precisamente um ano, completados na Quinta-feira, 9, o intendente Mateus Rodrigues anunciava a detenção de dois indivíduos que faziam parte de um grupo de quatro pessoas acusados de tentar roubar 13 milhões de kwanzas da Igreja Universal do Reino de Deus na Centralidade do Kilamba.

O director do Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa da Delegação Provincial do Ministério do Interior esclareceu que os outros dois suspeitos, obreiros da igreja, estavam em fuga. Os obreiros são suspeitos de terem fornecido informações aos homens detidos sobre a existência dos valores monetários no interior da igreja.

De acordo com o oficial da corporação, os obreiros forneceram as pistas de como os meliantes poderiam chegar até aos cofres da igreja, mas o acto não foi concretizado devido à intervenção imediata das forças da ordem. Segundo Mateus Rodrigues, a Polícia teve conhecimento da tentativa de roubo através de uma denúncia anónima.

O assalto estava programado para ser feito em pleno culto matinal. Na ocasião, a Polícia apreendeu uma arma de fogo do tipo “Ak47” e uma viatura. Os dois elementos detidos são igualmente acusados pela corporação de terem participado recentemente num assalto a uma dependência do BCI no Morro Bento, município de Talatona.

Procissão das Velas em Luanda

O assalto à antiga Igreja de São Domingos, em Luanda, aconteceu um dia antes da celebração do dia 13 de Maio, que assinala a primeira aparição da Virgem Maria na Cova de Iria (Portugal), em 1917. Em Luanda, a celebração foi marcada ontem com uma “procissão de velas realizada, por fiéis católicos, que percorreram algumas artérias da cidade de Luanda, em homenagem à data.

De acordo com o programa da casa santa, a actividade começou às 18 horas, defronte ao largo da Igreja Nossa Senhora de Fátima, no município do Rangel, passando pela rua Rei Mandume, estrada Deolinda Rodrigues, 1º de Maio, José Pirão, Avenida Brasil, e culminando no local de partida.

Segundo a história da Igreja Católica, no dia 13 de Maio de 1917, três crianças (Lúcia, Jacinto e Francisca) estavam a guardar ovelhas nas colinas, quando sobre uma pequena árvore surge um clarão e a figura “de uma senhora vestida de branco, mais brilhante que o sol, reluzindo mais clara e intensamente do que um copo de cristal, atravessado pelos raios de sol mais ardente”.

Dirige-se às crianças e pedelhes que rezem o terço todos os dias pela paz do mundo, que peçam a conversão dos pecadores e o fim da guerra. As aparições continuam, e sempre a Virgem repete que se ore pela paz e pela conversão dos pecadores e que se reze o terço diariamente.

A aparição de Maria aos três pequenos pastores ocorreu na aldeia de Leiria, região de Fátima (Portugal) e espalhou rapidamente a sua devoção pelo mundo. Ela é oficialmente a padroeira de dois pequenos países da América do Sul: Guiana e Suriname.