Universidade de Roma promove V curso Livre de Cultura Angolana

A iniciativa é da Fundação Dr. António Agostinho Neto (FAAN) e a União dos Escritores Angolanos (UEA), em parceria com o Departamento de Línguas Estrangeiras, Literaturas e Culturas, da Universidade de Roma Tre.

A universidade oferece no segundo semestre ano lectivo. 2018/2019, o V Curso Livre de Cultura Angolana, visando aprofundar o conhecimento da cultura e literatura angolana. Para todos os outros alunos matriculados nos Cursos de Licenciatura do Departamento de Línguas Estrangeiras, Literaturas, o curso de Cultura Livre Angolana permite a aquisição de seis módulos que podem ser gastos em “Outras actividades”.

O curso é, em qualquer caso, aberto a todos os estudantes da Universidade Roma Tre. O Curso V Livre da Cultura Angolana será dividido em duas partes. Um primeiro ciclo introdutório de palestras e conferências será seguido por um segundo ciclo de palestras proferidas pela professora Egídia Souto, da Universidade Sorbonne Nouvelle, e um seminário realizado pela investigadora e coreógrafa angolana Ana Clara Guerra-Marques.

O curso, iníciado a 13 de Março, é ministrado principalmente em língua portuguesa. Entre alguns temas destacam-se “Angola: um enquadramento histórico – cultural”, “Agostinho Neto e Itália”, a “Economia angolana”, “Agostinho Neto e as relações italo-angolanas”, “Visão geral das relações entre literatura e artes visuais contemporâneas em Angola”.

O II seminário encerra a 15 de Maio e está a ser ministrado pela coreógrafa Ana Clara Guerra Esta segunda parte do curso incidirá sobre aspectos relacionados com a dança em Angola, especificamente sobre a génese da companhia de dança contemporânea angolana e as tradicionais danças Cokwe.

O módulo B exigirá uma interação permanente com os alunos, com aulas práticas nas quais os participantes poderão expressar através do corpo alguns dos movimentos básicos das danças Cokwe tradicionais, como ponto de partida para a sua livre reinterpretação. Cátedra Trata-se da Cátedra Agostinho Neto criada por iniciativa da União dos Escritores Angolanos e a Universidade Tre de Roma.

Faz parte integrante a Fundação Agostinho Neto, que desde há cinco anos realiza a promoção e divulgação da literatura angolana, em Itália, na referida Universidade. Por lá já passaram os escritores Carmo Neto, António Quino, Manuel Muanza, José Luís Mendonça. que estiveram a leccionar literatura angolana e a promover cultura angolana.

error: Content is protected !!