Obra Poética de Agostinho Neto traduzida para mandarim

A obra poética completa do escritor António Agostinho Neto, traduzida em mandarim, foi lançada no Sábado, na cerimónia de abertura da 8ª edição do Festival da Canção em Língua Portuguesa, realizada na capital chinesa

O livro integra as obras “Sagrada Esperança”, “Renúncia Impossível” e “o Amanhecer”. Foi traduzido e lançado por iniciativa da Fundação António Agostinho Neto, em cooperação com a Universidade de Estudos Estrangeiros de Beijing (BFSU), organizadora do festival. No acto de lançamento, a Fundação António Agostinho Neto ofereceu 700 exemplares à supracitada universidade e o embaixador de Angola na China, João Salvador dos Santos Neto, procedeu à entrega simbólica do livro ao vice-reitor da Universidade, Yuan Jun. Ao contextualizar o autor da obra, Yuan Jun disse que, além de ter sido o primeiro presidente e fundador da nação angolana, Agostinho Neto era também um “poeta extraordinário”.

Sendo assim, argumentou Yuan Jun, a publicação da sua obra em mandarim permitirá aos chineses entenderem o seu pensamento e contribuir no processo de intercâmbio cultural entre os dois povos. Por seu turno, o embaixador angolano na China afirmou que Agostinho Neto escreveu os livros num contexto de luta para a libertação do povo da subjugação colonial, mas o conteúdo dos seus poemas mantém-se actualizados e continuam a servir de inspiração dos angolanos na procura de soluções para os desafios que o país ainda enfrenta.

O chefe da missão diplomática de Angola na China assegurou que os leitores dessa obra facilmente compreenderão o alcance da visão de Agostinho Neto como libertador e homem de cultura. Já o embaixador de Portugal, José Augusto Duarte, felicitou a iniciativa da Fundação Dr. Agostinho Neto e encorajou os estudantes do curso de Língua Portuguesa a lerem o livro, por, no seu entender, ser escrito numa época que a todos nós interessa conhecer.

O diplomata português aconselhou os estudantes no sentido de procurarem também ter acesso a obras de outros autores de Angola e demais países lusófonos como forma de enriquecerem os seus conhecimentos e entender melhor os sentimentos e a cultura desses povos. A representar a Embaixada de Moçambique na cerimónia esteve o conselheiro António da Costa Gaspar que, ao regozijar-se com o lançamento dessa obra em chinês, afirmou que Agostinho Neto foi um grande líder, cujo papel na luta para a libertação do jugo colonial é reconhecido por todos os povos africanos de expressão portuguesa.

error: Content is protected !!