Benguela: MPLA quer transparência na selecção de membros para secretário da JMPla

António Capewa Calianguila apela à observância do princípio de igualdade e das normas vigentes na assembleia que vai eleger o 1º secretário provincial da JMPla em agosto deste ano

POR: Constantino Eduardo, em Benguela

O 2º secretário do Comité Provincial do MPLA em Benguela, António Capewa Calianguila, apela à necessidade de o processo “assembleário” ao nível dos núcleos, comités comunais, municipais e provincial ser aberto e transparente, permitindo que os militantes se candidatem em pé de igualdade. O político, que falava na IV reunião extraordinária do Comité Provincial da JMPLA, realizada no último fim-de-semana, na cidade de Benguela, acredita que só com a abertura no processo de candidaturas a todos é que se poderá escolher os melhores dirigentes para a agremiação e, desta forma, trabalhar- se para a melhoria da democracia interna.

A posição de António Calianguila contraria, assim, cenários anteriores, em que o partido definia o seu candidato e este, indubitavelmente, acabava sempre por se sagrar “vencedor” de determinado pleito que ocorresse na organização juvenil. No passado, para o cargo de secretário provincial, sublinharam algumas fontes de O PAÍS, o partido indigitava o seu concorrente e, por orientação política e no estrito cumprimento da orientação superior, todos acabam por votar nele, embora houvesse outros que reunissem melhores condições.

O “apoiado” pelo partido vencia sempre, a ponto de determinados segmentos da organização juvenil do MPLA terem denunciado aquilo que designavam falta de “transparência nos processos”. Mas, apesar desta abertura, Calianguila chama a atenção para se ter em conta o perfil dos candidatos, podendo-se optar por quem tenha histórico partidário. “Só com jovens capazes é que o MPLA vai ganhar o desafio das autarquias. Para tal, é necessário que possamos ter os melhores jovens nas direcções da JMPLA”, afirmou. Os dirigentes que vão cessar funções na organização juvenil por imperativo de idade, deverão ser acompanhados pelo partido para contribuírem com o conhecimento de que dispõem e, deste modo, engrandecerem o partido, disse o responsável partidário.

António Calianguila assinalou que se prevê, para os próximos tempos, dois importantes actos para a vida da organização política que sustenta o poder em Angola, designadamente a XI reunião extraordinária do Comité Provincial do Partido – com objectivo de alargar os seus órgãos – e o outro sobre a campanha de moralização da sociedade. Esta campanha consiste em combater o nepotismo, bajulação, impunidade e outros males que enfermam “a imagem do nosso partido”, por isso, o político pede maior envolvimento dos militantes para que, em pouco tempo, se tenha a sociedade moralizada e dentro das regras estabelecidas pela lei. A IV sessão extraordinária do Comité Provincial da JMPLA visou convocar a X Conferência Ordinária da JMPLA, para eleger o novo primeiro secretário da JMPLA e o seu comité. Os trabalhos foram orientados pelo 1º secretário provincial da JMPLA, Ricardo Agostinho Fernando Catumbela, e decorreram sob o lema “JMPLA- pela cidadania e pelo progresso, construamos um futuro Melhor”.

error: Content is protected !!