Ministra aponta relacionamento familiar como arma contra as drogas

A ministra da Acção Social, Família e Promoção da Mulher, Faustina de Almeida Alves, apontou hoje (quarta-feira) o bom relacionamento familiar como arma de combate às drogas, ao consumo excessivo de álcool, à gravidez e ao casamento precocesFaustina Alves defendeu tal ponto de vista na sua intervenção a propósito do 15 de Maio, Dia Internacional da Família, cujo acto central decorreu na cidade do Dondo (Cuanza Norte), sob o lema “A moralização da sociedade começa na família”, à margem os trabalhos do XXII Conselho Nacional da Família, aberto esta manhã na mesma cidade.
A governante instou as famílias angolanas a educarem e ensinarem correctamente os seus filhos, com vista a uma sociedade saudável, onde todos possam conviver em harmonia.
“Se apostarmos nestas praticas, não precisaremos, no futuro, punir os violadores sexuais e outros delinquentes, nem redobrar as campanhas contra o consumo excessivo de bebidas alcoólicas, drogas, violência doméstica, fuga à paternidade e à maternidade, entre outras práticas que desestabilizam a sociedade”, frisou a ministra.
Para si, a família deve continuar a ser a fiel depositária da nobreza, do respeito, a promotora da paz e da concórdia, tendo por isso apelado ao reforço do diálogo, compreensão e união entre os seus membros.
Lamentou, por outro lado, a existência de muitas famílias, que ao longo dos tempos, se tornaram materialistas e imediatistas e que ao transmitirem estas praticas aos filhos acabaram por se tornarem maus cidadãos para a sociedade.
Reafirmou a aposta do seu pelouro na materialização de programas e projectos que propiciam a edificação e a estabilidade das famílias que se encontram em situação de vulnerabilidade e de pobreza, o que vai contar com a parceria de todos os agentes sociais.
Em 1993, a Assembleia Geral das Nações Unidas declarou o dia 15 de Maio como Dia Internacional da Família. Desde então comemora-se este dia, de forma a chamar a atenção para questões que influenciam o dia-a-dia da Família, e para que se reconheça o papel nuclear da família na sociedade e se incentive a adopção de medidas no sentido de melhorar a sua condição..