Presidente recomenda empenho a novos gestores

O Presidente da República, João lourenço, conferiu posse ontem, terça-feira (14), a três secretários de estado, dois directores nacionais dos Serviços de inteligência, e quatro vice-governadores de província, nomeadamente, três de luanda e um da lunda-Sul

O Chefe de Estado afirmou ser possível superar os inúmeros problemas que o país enfrenta se “cada um no seu posto fizer bem o trabalho que lhe compete”. Os gestores, ora empossados, não são novos nos ramos em que trabalham, por este facto, o Presidente João Lourenço recomendou a aplicação de todo o saber e competência no desempenho das suas funções. “Com trabalho, e apenas com trabalho, alcançaremos o rumo desejado”, afirmou o Chefe de Estado.

João Lourenço conferiu posse, no salão nobre do Palácio da Cidade Alta, a três secretários de Estado, nomeadamente José Maria de Lima (secretário de Estado da Defesa), Lucrécio Alexandre Manuel da Costa (Águas) e Carlos Alberto Gregório dos Santos (Obras Públicas), dois directores gerais- adjuntos do Serviço de Informações e Segurança do Estado (SINSE), nomeadamente José Coimbra Baptista Júnior e Jacinto Pedro Ricardo Figueiredo. Tomaram igualmente posse na mesma ocasião três vice-governadores de Luanda, Lino Sebastião (para o Sector Económico), Elizabeth de Fátima Rafael (para os Serviços Técnicos e Infra-estruturas) e Dionísio Manuel da Fonseca (para o Sector Político e Social).

No Governo provincial da Lunda-Sul tomou posse o vice-governador para Sector Político, Social e Económico, Cassongo João da Cruz. Em declarações à imprensa no final da cerimónia, o novo secretário de Estado das Águas prometeu dar o seu melhor no desempenho da sua função, conforme foi recomendado. De acordo com Lucrécio da Costa, a dinâmica do sector virada para uma gestão integrada dos recursos hídricos fará com que os problemas, extremos, como a seca, passem a constar nas prioridades. O secretário de Estado das Águas referiu, igualmente, constar nas prioridades a melhoria contínua dos serviços de abastecimento de água, tanto do ponto de vista qualitativo como quantitativo. “Bem como em termos de regularidade”, acrescentou. O responsável explicou que os custos dos serviços prestados nos referidos sectores devem ser cobertos pelas operações realizadas.

Cunene: Medidas de emergência estão a ser implementadas

O secretário de Estado das Águas, Lucrécio da Costa, anunciou que, nos últimos 15 dias de trabalho, 11 dos furos de água que circundam a cidade de Ondjiva foram repostos. Deste modo, garantiu estar para breve o início de obras noutros pontos da província. “Creio que aquilo que constitui actividade fundamental está devidamente customizada. Temos também um conjunto valoroso de cidadãos operários no terreno e creio que este problema poderá ser mitigado com estas acções de emergência”, explicou. Está em curso o concurso público conducente à contratação de empresas para a construção de canais que permitirão levar a água das zonas com alguma abundância para áreas mais carentes. A respeito, o responsável anunciou que dentro de cinco meses estará concluído o processo de contratação pública. A seca no Cunene já afectou 857 mil e 443 pessoas, de um total de 171 mil e 488 famílias, e 907 mil e 572 cabeças de gado. Morreram 26 mil e 267 animais, entre gado bovino, caprino e suíno.

error: Content is protected !!