Angola e China procuram novas áreas de cooperação

A República de Angola e a República da China pretendem exportar as suas potencialidades a fim de procurar novas áreas de cooperação nos sectores da indústria, da agricultura, das pescas, da exploração mineira e de intercâmbio a nível parlamentar

O assunto dominou ontem a audiência que o presidente da Assembleia Nacional, Fernando da Piedade Dias dos Santos, concedeu ao embaixador da China acreditado em Angola, Gong Tao. Na ocasião, Gong Tao disse que actualmente os dois países encontram-se numa nova fase de desenvolvimento económico e social, e realçou o desempenho de Angola na luta para o desenvolvimento com as novas políticas de abertura ao exterior e de reformas económicas.

Segundo o diplomata chinês, estas reformas criam um bom ambiente ao desenvolvimento sustentável, e podem atrair investimentos estrangeiros para transformar os recursos que o país possui em riqueza e produção para o bem- estar do seu povo. Disse tratar-se das mesmas aspirações do Governo Chinês, que, disse, continua a focalizar as suas atenções no desenvolvimento sustentável e no reforço da cooperação com os países parceiros. O diplomata chinês recordou que os dois países já tiveram cooperações em diversas áreas, sobretudo na reconstrução das infra-estruturas, cujo objectivo foi o de ajudar no desenvolvimento económico e social de ambos.

Feira China-África

Informou que a China vai organizar, no próximo mês de Junho, a I edição da Feira China África para a área do comércio e investimento, garantindo que Angola está como convidada principal deste evento. “Será uma grande ocasião para a China e os países africanos trocarem experiências e procurarem novas áreas de cooperação”, disse.

Intercâmbio parlamentar

Sobre a cooperação interparlamentar, Gong Tao referiu que o intercâmbio entre a Assembleia Nacional de Angola e o Congresso Nacional do Povo da China será reforçado a nível geral. O reforço consistirá em analisar os métodos de como os dois países devem intensificar as visitas de alto nível para aprofundar a confiança política e de como os dois parlamentos podem intensificar as visitas a nível de Congressos e Comissões em diversas áreas. “Neste âmbito, vamos partilhar as nossas experiências de governação e identificar novas áreas de cooperação, onde vamos trabalhar em conjunto para o bem-estar dos nossos povos nas áreas económicas, culturais e de ensino”, avançou.

Angola e Mauritânia analisam áreas de cooperação

O embaixador da República Islâmica da Mauritânia, Mohamed Mekhlle, que também foi recebido ontem pelo presidente da Assembleia Nacional, em declarações à imprensa disse que o seu país está a analisar com Angola uma possível cooperação nas áreas de exploração de ferro, do sector das pescas e dos diferentes subsectores da agricultura. Disse que Fernando da Piedade Dias dos Santos manifestou abertura para a cooperação nesses sectores.