Editorial: No início e no fim do ciclo

Os novos embaixadores ontem empossados vão com uma missão bem definida pelo Chefe de Estado, a da promoção da boa imagem de Angola no exterior e atrair investimento estrangeiro. Cada embaixada passa, assim, a ser uma espécie de agência de marketing, um posto avançado dos negócios angolanos. Esperemos que os embaixadores tenham consciência da importância dessa missão e que a saibam cumprir. Por um lado darão força a uma das linhas mais importantes da política económica do Presidente, que passa pela abertura do mercado e simplificação de processos, e, por outro, abrirão caminho à criação de empregos e á produção nacional que, sendo competitiva, se voltará para a exportação, entrando aí, novamente em liça, as embaixadas para a promoção e defesa dos produtos angolanos, fechando assim o ciclo de embelezamento da fachada de Angola.

error: Content is protected !!