PR quer nova imagem no estrangeiro para atrair investimentos

PR quer nova imagem no estrangeiro para atrair investimentos

João Lourenço fez esta afirmação ontem no Palácio da Cidade Alta, em Luanda, durante a cerimónia de tomada de posse dos novos embaixadores nomeados na semana passada. “Espero que os chefes de missões diplomáticas consigam passar, da melhor forma possível junto do sector empresarial, a imagem do novo quadro criado a favor do investimento estrangeiro, essencialmente privado”, exortou. Para o Chefe de Estado angolano, a defesa do bom nome de Angola junto dos países onde estão acreditados apresenta-se como um elemento fundamental.

Por isso, entende que os embaixadores devem contribuir para o reforço das relações de amizade e de cooperação bilateral com os países em que estão acreditados. Para o embaixador da Angola nos Estados Unidos da América, Joaquim do Espírito Santo, um dos principais desafios se rá estreitar o diálogo com as instituições financeiras para resolver a crise cambial e o combate à corrupção. “Vamos trabalhar para aproximar Angola dos americanos no quadro da diplomacia económica. Vamos contar com as câmaras de comércio, Banco Mundial, FMI e outras”, garantiu.

Tomaram ontem posse os embaixadores Edgar Augusto Brandão Gaspar Martins (Coreia), Albino Malungo (Emiratos Árabes Unidos), Osvaldo dos Santos Varela (Israel), Florêncio Mariano da Conceição e Almeida (Brasil) e Balbina Malheiros Dias da Silva (Alemanha). O Presidente da República conferiu ainda posse a Maria Isabel Gomes Godinho de Resende Encoge (Reino dos Países Baixos), António Manuel Luvualu de Carvalho (Guiné Equatorial), Agostinho Tavares da Silva Neto (Zimbabwe), Agostinho André de Carvalho Fernandes (Vietname), Azevedo Xavier Francisco (Zâmbia), Jovelina Alfredo António Imperial da Costa (Namíbia) e Joaquim do Espírito Santo (Estados Unidos da América). Já Domingos André Tchikanda foi empossado para o cargo de secretário de Estado dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria, a quem o Presidente da Republica pediu que fosse dar maior atenção a este grupo social. “Trata-se de uma franja da nossa sociedade por quem temos muito carinho e gostaríamos de pedir que continuassem a prestar a devida atenção aos antigos combatentes e veteranos da pátria” , referiu.

Marinha de Guerra coloca formação de quadros entre as prioridades

No outro momento da cerimónia de tomada de posse, o Presidente da República e comandante- em-chefe das Forças Armadas Angolanas, elevou João Pedro da Cunha Júnior ao grau de almirante e empossou-o no cargo de comandante da Marinha de Guerra Angolana (MGA). Na ocasião, o Chefe de Estado manifestou-se esperançado com o contributo que a Marinha de Guerra e os outros ramos afectos (Exército e Força Aérea) venham exercer para o reforço da capacidade das Forças Armadas Angolanas (FAA). Disse também que, apesar de o país estar há mais de 16 anos no calar das armas, as FAA serão sempre uma instituição importante para a defesa da soberania do Estado angolano, estabilidade e reconciliação. O novo comandante da Marinha de Guerra Angolana apontou como prioridades o equipamento e a formação de quadros. Mas, sublinhou os esforços em curso para o reforço da segurança marítima no âmbito da Operação Transparência em curso no País desde o princípio do ano. “Nos próximos meses faremos um balanço positivo da Operação Transparência nos mares”, disse João Pedro da Cunha Júnior, que substitui no cargo de comandante da Marinha de Guerra Almirante Francisco José.