Club de Jazz: Francisco Rasgado lamenta falta de apoios de “empresários do MPLA”

O promotor do evento, o veterano jornalista Francisco Rasgado, sustenta que o seu projecto, que pela primeira vez traz a Benguela a conceituada cantora Afrikkanitha, tem tido apenas apoios de “empresários da sociedade”

POR: Constantino Eduardo, em Benguela

Sempre crítico, até mesmo quando o assunto é “concerto”, o jornalista argumenta que a classe empresarial em Benguela está dividida em dois segmentos: por um lado, os empresários da sociedade, por outro, os que estão umbilicalmente ligados ao partido no poder, o MPLA. Para lá da inércia de tal segmento comprometido com o “sistema”, o também director da publicação “Chela Press” enaltece o facto de empresas como a cervejeira CUCA juntarem-se à sua iniciativa, patrocinando os concertos que se realizam tradicionalmente na Baia- Azul, município da Baia-Farta. “Os empresários do MPLA têm outros interesses e outros gostos, não se fazem sentir muito. Agora, os empresários da sociedade vão para esses concertos de coração aberto”, garantindo que, apesar dessa condicionante, a marca “Club Jazz”, criada apenas para o exercício de Jazz nas terras das Acácias Rubras, tenha vindo para ficar.

O Festival

Entretanto, no dia 25 deste mês (Dia de África), os caminhos de empresários, governantes, membros da sociedade civil, de entre outras individualidades, vão dar, uma vez mais, à Baia-Azul, município da Baia-Farta, para o primeiro concerto de Jazz, num conjunto de três, com patrocínio oficial. A grande novidade, segundo Rasgado, recai para bandas de Moçambique e a Kim Jassa (da RDC): “Qualquer uma das duas, ou os seus integrantes, têm academia de música. Importa salientar que a banda moçambicana tem a sua academia na África do Sul e, como sabe, a África do Sul, em termos de Jazz, é a maior potência africana”, enaltece, dando conta que os músicos, entre nacionais e estrangeiros, já se fazem à província de Benguela. “Como novidade também, trazemos Afrikkanitha, que vem pela primeira neste universo do Rasgado Jazz Club. Vem a Esperança, que também é a grande promessa neste segmento, Dodó Miranda”, de entre outros, que vão abrilhantar o dia 25 de Maio com a sua performance musical. A banda FM, da rádio Benguela, se vai estreiar ao estilo Jazz.

Club de Jazz

O objectivo do Concerto Internacional de Jazz é o de juntar os homens de arte, empresários, amigos do Jazz, convidados, associados ou não do Rasgado’s Jazz Club, para uma análise e reflexão do actual estado músico-cultural de Benguela, em particular, e angolano, em geral. Segundo Francisco Rasgado, o jazz é para uns paixão e outros música de intelectuais, mas “a grande verdade é que se trata de um charmoso e envolvente estilo musical em que alguns benguelenses se revêem”.