Casos de Polícia

Man Didi estava sentado no quintal a ler os jornais da semana e a meio da leitura começa a irritar- se, como era possível que todos os dias houvesse uma notícia sobre estupro?

Mana Zefa vem ainda aqui – Chama pela esposa.

Então só esta semana uma mãe encontra o marido a violar a enteada, duas jovens sobem num carro fazendo serviço de táxi e acabam violadas; uma adolescente de 15 anos é violada pelo pai de 44 anos; um jovem estupra uma menina de 5 anos e outro de 40 anos viola uma menor de 10 anos vizinha de porta. Onde vamos parar?

Mana Zefa conhecida pela sua calma e sapiência mulher que só faz uso da palavra quando necessário diz após um momento de reflexão:

Dionísio porque te espantas? Estes pelo menos ao ser noticiado no jornal foram apanhados e quantos existem por aí que ninguém sabe? Recordaste da palestra a que a nossa filha foi, com umas senhoras advogadas há muitos anos em que elas disseram que estas questões se iriam agudizar?

Segundo o que na altura contou o êxodo das zonas rurais para a cidade era um factor pois as famílias numerosas vivem em cómodos exíguos, não existindo uma separação e respeito pelas individualidades de mais velhos e mais novos. Por norma as mulheres que acabam por assegurar o sustento familiar saem muito cedo e deixam os filhos mais novos entregues aos mais velhos que também são pequenos.

Infelizmente o que acabas por relatar é também um reflexo de que a nossa sociedade está doente e existem inúmeras patologias agudizadas pelo consumo de álcool e estupefacientes.

Com o agravante de que esta violência sexual sobre as meninas mostra que existe uma predominância da cultura do homem com mais poder e que se sente legitimado porque a menina passou de toalha logo estava a provocar ou vestiu um calção curto e xuxuado então estava mesmo a pedi-las….

Man Didi ficou pensativo Josefa tinha razão, já há muito que sentia que a sociedade perdia valores que mesmo com os apelos ao resgate dos ditos cujos pouco se verificava. A falta de emprego, o aumento do custo de vida e as dificuldades da maioria da população levava a que a cada dia que passava a dependência aumentasse, ainda mais num país em que o consumo de bebidas artesanais e não só é tão exagerado… não é à toa que os vários sem abrigo deambulantes pela cidade são maioritariamente homens e com perturbações mentais.

Outra coisa muito grave é o empoderamento feminino referenciado no mês de Março e em Julho, mas se é do conhecimento que o país é maioritariamente constituído por mulheres e que em muitos casos são elas o sustento da família e a principal fonte de transmissão de valores o que fazer para formar e criar auto emprego que permita uma maior estabilidade familiar?

Toda esta história deixou-o incomodado, casos de polícia que por sorte tinham sido denunciados mas o que fazer com todos os outros que não têm cobertura mediática? Convivemos com pedófilos e predadores disfarçados que necessitam de apoio e acompanhamento, mas no final do dia o africano não recorre a ajuda especializada problemas do foro psicológico são para os ocidentais aqui as malambas da vida resolvem- se com biritas fresquinhas e conversa fiada e era precisamente o que iria fazer… beber para esquecer….

Kâmia Madeira