Xi Jinping diz a Mourão que China e Brasil devem se ver como oportunidade

A China e o Brasil devem considerar um ao outro como uma oportunidade para o desenvolvimento e como parceiros, disse o presidente chinês, Xi Jinping, ao vice-presidente brasileiro, Hamilton Mourão, nesta Sexta-feira, em Pequim

Chinese President Xi Jinping stands by national flags at the Schloss Bellevue presidential residency in Berlin on March 28, 2014. Chinese President Xi Jinping begins a landmark visit to fellow export powerhouse Germany Friday, the third leg of his European tour, expected to cement flourishing trade ties and focus on the Crimea crisis. AFP PHOTO / JOHANNES EISELE (Photo credit should read JOHANNES EISELE/AFP/Getty Images)

Ao contrário do Presidente Jair Bolsonaro, que criticou o papel da China na economia brasileira durante a campanha presidencial, Mourão tem escolhido uma abordagem mais pragmática em relação a um dos principais parceiros comerciais do Brasil, à procura de manter os laços económicos.

Durante o período eleitoral de 2018, Bolsonaro retratou a China como um predador em busca de dominar sectores-chave da economia brasileira.

Ao receber Mourão no Grande Salão do Povo em Pequim, Xi disse que o relacionamento entre os dois países está num “momento crucial”, de acordo com a TV estatal chinesa. “Os dois lados devem continuar a discutir com firmeza as oportunidades e os parceiros um do outro para o seu próprio desenvolvimento, respeitando-se, confiando um no outro, apoiando-se mutuamente e construindo as relações China- Brasil como modelo de solidariedade e cooperação entre os países em desenvolvimento”, disse Xi.

Há “perspectivas amplas” de cooperação entre os dois, afirmou Xi.

A China tem-se aproximado diplomaticamente da América Latina, para a preocupação dos Estados Unidos, que há muito consideram a região como sua área de influência.

Este ano o Brasil será o anfitrião da cimeira dos BRICS, bloco constituído pelo Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, à qual Xi deve comparecer.