UNITA e família recebem oficialmente restos mortais de Jonas Savimbi no Andulo

O Governo entrega hoje, às 10 horas, no Andulo, sede do município com o mesmo nome, na província do Bié, à família e à direcção da UNITA, os restos mortais do presidente fundador do partido, Jonas Savimbi

Depositados numa unidade militar das Forças Armadas Angolanas(FAA) n Andulo, nesta Terça-feira, 28, contra a vontade da família e da direcção da UNITA, partido que fundou, as ossadas de Jonas Savimbi são entregues hoje oficialmente pelo ministro de Estado e chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, general Pedro Sebastião.

Segundo o secretário da Comunicação e Marketing da presidência da UNITA, Lourenço Bento, recebe os restos mortais o presidente da UNITA, Isaías Samakuva, na presença da família, nomeadamente a irmã Judith Pena, os filhos e as duas viúvas.

A entrega oficial no Andulo resultou de uma reunião ocorrida ontem, em Luanda, entre Isaías Samakuva e o Presidente da República, João Lourenço, no Palácio da Cidade Alta, depois de as ossadas não terem sido entregues no Cuito, como se previa.

Face à situação, o líder da UNITA endereçou uma carta de carácter urgente ao Presidente da República, na qual manifestava o seu descontentamento com a situação.

A missiva foi antecedida de uma conferência de imprensa realizada pelos filhos de Jonas Savimbi na cidade do Cuito, que desmentiram a existência de divergências entre a família e a direcção da UNITA, quanto ao enterro condigno de Jonas Savimbi, como avançou fonte governamental.

Dirigida pelo seu primogénito, Cheya Sakaita, a família reagia às declarações do ministro de Estado e chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, feitas numa outra conferência de imprensa realizada aqui no Andulo.

Na conferência, Pedro Sebastião denunciou que a direcção da UNITA estava a criar obstáculos à entrega dos restos mortais de Jonas Savimbi para a realização de um funeral condigno, por ter entrado em contradição com a família do malogrado.

Em conversa com os jornalistas, Cheya Savimbi disse não fazer sentido haver divergências entre a família e a direcção da UNITA, pelo facto de ambas as partes estarem de acordo em todos os aspectos para a inumação do seu progenitor.

“Queremos enterrar o nosso pai com dignidade e verdade”, afirmou, esclarecendo que desde o início deste processo estão a tratar juntos o assunto com o Governo, através da Comissão Multisectorial para as Exéquias Fúnebres de Jonas Savimbi, integrada por membros da direcção da UNITA, Governo e família.

Programa inalterável

Apesar da recepção tardia dos restos mortais, o programa das exéquias fúnebres não sofreu qualquer alteração, sendo que ontem se realizou o velório aqui no Andulo no Secretariado Municipal da UNITA, e hoje segue-se para a localidade de Lopitanga, onde amanhã serão enterradas definitivamente as ossadas de Savimbi.

Segundo apurou OPAÍS, para assistirem à inumação de Jonas Savimbi, morto em combate no Moxico, Leste de Angola, a 22 de Fevereiro de 2002, estão já confirmadas mais de 80 personalidades estrangeiras, convidadas para o efeito.

Há também a destacar a presença de um batalhão de jornalistas nacionais e estrangeiros já na localidade da Lopitanga, situada a 30 quilómetros do Andulo, para a cobertura deste evento.

Gesto de reconciliação nacional

Entretanto, o vice-presidente da UNITA, Raul Danda, saudou a decisão do Presidente da República, João Lourenço, que autorizou a entrega oficial das ossadas à UNITA e à família, depois de não se ter efectivado no local previsto.

error: Content is protected !!