Editorial: Vulnerabilidade em números

Cento e 50 crianças do Cunene e das províncias da huíla e Namibe estão envolvidas na venda ambulante em vários pontos de Ondjiva, denunciou o director do instituto Nacional da Criança (INAC), hélder dos Santos. Trata-se de crianças com idades dos 9 aos 14 anos, portanto, menores altamente vulneráveis e que espelham a condição social e de pobreza em que estão as famílias angolanas. Muitas dessas crianças nem sequer estudam. Ondjiva, diga-se, é das menores cidades angolanas, logo, a extrapolação para os maiores centros urbanos pode obrigar à multiplicação deste número por centenas ou milhares de vezes. E estes são os números que nos envergonham e com que Angola tem de ser confrontada todos os dias, para os reduzir, para os eliminar.

error: Content is protected !!