Dia do Ambiente 2019: Parceria entre MINAMB e PNUD contribui para enfrentar os desafios ambientais em Angola

O Dia Mundial do Ambiente foi instituído em 5 de Junho de 1972, na Assembleia Geral das Nações Unidas como resultado das discussões sobre a integração das interacções humanas e o ambiente. Desde que foi instituído, o Dia Mundial do Meio Ambiente (5 de Junho) é a principal data das Nações Unidas para incentivar, em escala global, a sensibilização e a criação de iniciativas a favor do meio ambiente para a tomada de acções em relação a problemas como a poluição dos oceanos, as mudanças climáticas e o crime contra a vida selvagem

É especialmente necessário concentrar- se nestas iniciativas em vista dos problemas ambientais enfrentados actualmente. Segundo relatório da Plataforma Intergovernamental sobre Biodiversidade e Serviços Ecossistémicos (IPBES), o planeta vem sofrendo uma perda de biodiversidade sem precedentes. Aproximadamente 1 milhão de espécies de plantas estão ameaçadas de extinção, mais do que em qualquer outro período da história humana. Do mesmo modo, o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) alerta que a temperatura do planeta tem aumentado em 1°C desde meados do século 19 e pode aumentar 1,5°C entre 2030 e 2052 se a emissão de gases de efeito estufa não forem reduzidas.

Esta mudança poderia contribuir para o aumento do nível dos oceanos, redução de colheitas e perda de biodiversidade. Face a estes desafios, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento está a apoiar o Governo de Angola na mitigação e adaptação às mudanças climáticas e conservação da biodiversidade no país. Para mitigar os efeitos das mudanças climáticas, o projecto Cuvelai, na província do Cunene, está a introduzir as abordagens inovadoras através da formação de grupos locais de desastres pela Protecção Civil, a formação de jovens como extensionistas comunitários para a promoção de agricultura resiliente ao clima, e a organização de comunidades em grupos de água e saneamento para gerir e manter furos de água reabilitados.

Além disso, o projecto está a fortalecer os serviços de meteorologia e hidrologia. Além do Projecto Cuvelai, o projecto Orla Costeira que está a trabalhar na identificação de políticas sectoriais para reduzir a vulnerabilidade da área costeira a alterações climáticas. Na área de mitigação de alterações climáticas, o PNUD trabalha em parceria com o MINAMB e o Instituto de Desenvolvimento Florestal, na formação de comunidades e técnicos em gestão sustentável de recursos florestais nas províncias de Huambo e Cuanza Sul, com o objectivo de reduzir a perda e degradação de florestas pela produção de carvão vegetal.

Somam-se ainda outras iniciativas, como a conservação da biodiversidade, no qual o PNUD tem um histórico de colaboração com o governo na reabilitação de áreas de conservação, com trabalhos feitos nos Parques Nacionais do Iona, Quiçama, Cangandala, Bicuar e Maiombe. Igualmente, o PNUD apoia o MINAMB na criação de três novas áreas de conservação terrestre na Floresta da Cumbira (Província do Cuanza-Sul), Serra do Pingano (província de Uíge) e Morro do Moco (província de Huambo) e da primeira área protegida marítima do país, na província do Namibe.

leave a reply