Gradualismo ‘afugenta’ cidadãos dos municípios do Huambo

O secretário provincial do Partido de Renovação Social (PRS) no Huambo manifestou-se preocupado com êxodo rural que diz estar a aumentar, sobretudo nas comunas e municípios da província do Huambo, resultante da ideia das eleições autárquicas de forma gradual.

Antonio Solia, em exclusivo a este jornal, disse que o facto resulta da aproximação das eleições autárquicas, aprazadas para o próximo ano, em que alguns cidadãos dos municípios e aldeias temem em não serem abrangidos, podendo agudizar a sua condição social.

O político considera um cenário previsível, devido ao modelo autárquico baseado no gradualismo, que entende promover a exclusão social das populações de determinadas regiões do país. “Chamamos a atenção ao Governo que modelo do gradualismo não havia de funcionar. Que viola o princípio da universalidade. O MPLA quer ouvir? as consequências estão já a vista”, disse.

Para ele, o partido que Governa faz tudo para que as mesmas não sejam realizadas, ou seja, a serem realizadas, que aconteçam de forma “atabalhoada”, como em anos anteriores nas eleições gerais. “O MPLA não quer as autarquias porque sabe que vai perder o poder, é por isso que estão inventar muitas manobras para sabotar as coisas”, disse Solia, para quem o gradualismo geográfico é a “pior aberração”, tendo dado com exemplo as autarquias em Moçambique.

PRS quer quadros competentes nas autarquias

Apesar deste cenário, o PRS diz estar a apostar nos seus quadros mais competentes e responsáveis para disputar as eleições autárquicas que, pela primeira vez, acontecem em 2020 no país. Antonio Solia, Justificou que esta aposta visa responder aos desafios das autarquias, uma vez que a meta do PRS é vencer em algumas localidades do país para poder contribuir seu no desenvolvimento. Disse que os “governos” locais, resultantes da implementação das autarquias, ajudarão a transformar Angola, contribuirão para a correcção das desigualdades e das assimetrias e darão aos cidadãos aquilo que se pode considerar de verdadeiro acesso à democracia e a oportunidade de melhorar a sua qualidade de vida. O PRS realizou recentemente, no Huambo, um seminário que congregou 85 secretários municipais e adjuntos, das províncias do Huambo, Benguela, Bié e Cuanza-Sul, em que se abordou a visão do PRS sobre as autarquias locais em Angola, organização, implementação e funcionamento das autarquias locais – dignidade constitucional e sua estratégia

error: Content is protected !!