Editorial: Uma medalha merecida

 O Instituto Nacional de Luta contra as Drogas, na pessoa da sua dirigente, recebeu uma medalha das Nações Unidas pela sua acção contra o tabaco. Medalha merecida, se percebermos que este pais, realmente, mantém-se com poucos fumadores, se compararmos com outras realidades. Na verdade, pelo menos no meio urbano e nas suas periferias, fumar não é algo que a sociedade aceite bem, sobretudo no meio feminino. Entretanto, se em termos de prevenção o Instituto tem feito um excelente trabalho, já em termos de combate à criminalidade associada ao consumo de drogas a coisa não parece ser tão exitosa. Por um lado, há um silêncio cúmplice das autoridades, que fingem que não circulam nem são consumidas drogas pesadas em Angola, e por outro, em consequência disso, o negócio floresce, os mais jovens e as suas famílias são os mais afectados e, por vezes, destruídos. Há muito por se fazer no combate às drogas duras e ao seu comércio ilegal.