Sétima comissão ausculta inquietações dos escritores angolanos

Os deputados da Sétima Comissão da Assembleia Nacional comprometeram- se, nesta Terça-feira, a interagir mais e avaliar com maior empenho as preocupações concernentes à Lei do Mecenato e as infra-estruturas, além da maior participação da União dos Escritores Angolanos (UEA) nas políticas públicas culturais do país, para melhor funcionalidade do sector. A responsabilidade foi assumida durante a primeira visita de constatação a UEA, em função das inquietações dos representantes da instituição.

De acordo com o presidente da Comissão de Cultura, Assuntos Religiosos, Comunicação Social, Juventude e Desportos, Nuno Carnaval, o encontro surge no âmbito de um processo de auscultação e interacção com os organismos culturais sedeados na capital do país, de modo a perceber o quadro real destes últimos. Por seu turno, Luís Candjimbo, presidente da Mesa da Assembleia da UEA, chamou a atenção para os transtornos causados pela falta de verbas e por políticas internas que acabam por condicionar a integração angolana no continente africano com a difusão cultural.

Recentemente, a Sétima Comissão apelou ao diálogo e maior aproximação para a resolução do conflito que persiste, nove meses depois de intentado um processo judicial pela lista B, sobre as eleições na União Nacional dos Artistas e Compositores – Sociedade de Autores (UNAC-SA). A União dos Escritores Angolanos foi proclamada a 10 de Dezembro de 1975 e tem como objectivos promover a defesa da cultura angolana como património da Nação, bem como fortalecer laços com a literatura e as artes dos outros povos africanos.

error: Content is protected !!