Subestação de Calandula concluída em Novembro

Se tudo correr como o previsto, a partir do mês de Novembro estará concluída uma sub-estação de energia eléctrica, com capacidade para 110 KvA, a ser alimentada pela barragem de capanda, erguida no município de calandula, visando a extensão da rede de electricidade pública àquela localidade

Segundo o engenheiro de construção civil da empresa Odebrecht, Rilson Zeca, que falava durante uma visita às obras efectuada pelo governador provincial, Norberto dos Santos, nesta altura decorrem trabalhos iniciais de preparação das fundações que vão sustentar a sub-estação e a casa de comando. A construção da referida subestação terá a duração de cinco meses (até Novembro próximo), prevê-se beneficiar inicialmente 10 mil habitantes da sede municipal e bairros periféricos, seguido de trabalhos de extensão da rede às comunas, a ser executado pela administração local.

Posteriormente, disse, arranca o trabalho da construção da linha de transporte de energia de Capanda (município de Cacuso) até à sub-estação de Calandula, num percurso de 45 quilómetros e, consequentemente, a interligação à vila municipal. Actualmente, só a sede daquele município é abastecida por um grupo gerador, beneficiando apenas 700 consumidores. Na ocasião, o administrador municipal de Calandula, Pedro Démbue, adiantou que a extensão da rede de electricidade pública vai promover o desenvolvimento local, tendo em conta as potencialidades, sobretudo turísticas que a região ostenta.

Frisou que muitos projectos de iniciativa privada têm vindo a ser inviabilizados por falta de energia eléctrica. O município de Calandula dista 85 quilómetros a Oeste da cidade de Malanje e conta com 4 comunas, nomeadamente Cota, Cuale, Quinje e Cateco Cangola. Ocupa uma extensão de 7 mil e 37 quilómetros quadrados e possui uma população estimada em 90 mil habitantes, que se dedica essencialmente à agricultura, pesca e caça.