FAF tranquiliza Palancas Negras

O presidente da Federação Angolana de Futebol (FAF), Artur de Almeida e Silva, confirmou ontem à imprensa que há dinheiro do prémio de qualificação e assim que a CAF disponibilizar, os atletas serão notificados

O presidente da Federação Angolana de Futebol (FAF), Artur de Almeida e Silva, assegurou que há dinheiro do prémio de qualificação ao CAN 2019 que o Egipto vai acolher de 21 de Junho a 23 de Julho próximo. O responsável da FAF adiantou que a Confederação Africana de Futebol (CAF) ainda não disponibilizou os USD 500 mil dólares. Por essa razão, há condições para a Selecção Nacional e a equipa trabalharem sem sobressaltos no Algarve, Portugal, local onde cumprem o estágio. Nesta Segunda-feira, os pupilos de Srdjan Vasilevic não treinaram, facto que deixou os amantes do futebol agastados com a FAF.

Como sinal, os jogadores e equipa técnica ficaram de costas viradas com a Federação, mas 24 horas depois tudo voltou ao normal. Os atletas reivindicavam o prémio de qualificação à direcção do FAF, o que levou Artur Almeida e Silva a reunir de emergência com o grupo. No encontro, o presidente da Federação garantiu que os prémios de jogos serão dados durante a prova em solo egípcio. Ao que este jornal apurou, dos 500 mil dólares, 300 serão para os prémios dos Palancas Negras que começam o CAN no dia 24 frente a Tunísia no grupo E.

O resto dos valores vão cobrir as despesas da Selecção Sub-17 no Mundial que o Brasil acolhe em Outubro próximo. Por isso, hoje, o seleccionador Srdjan Vasiljevic vai trabalhar os aspectos técnicos e tácticos, depois da paragem nesta Segunda-feira. Os Palancas Negras, no palco da competição, em solo egípcio, definiram o objectivo de chegar às meias-finais. Para além da Tunísia, Mali e a Mauritânia também vão medir forças com Angola no grupo E na cidade de Suez. Os Camarões são os campeões em título, pelo que irão para o Egipto com o objectivo de, pelo menos, subir ao pódio.

error: Content is protected !!