Mbanza Kongo e Soyo repartem Festikongo

O Festikongo faz parte das nove exigências colocadas pela Unesco aquando da inscrição do Centro Histórico da capital do antigo Reino do Kongo na lista do Património Mundial

A exiguidade de unidades hoteleiras na cidade de Mbanza Kongo, capital da província do Zaire, vai obrigar a transferência de algumas actividades da primeira edição do Festival Internacional da Cultura, Artes e Turismo (Festikongo), a decorrer de 5 a 8 de Julho deste ano, para o município do Soyo. O facto foi anunciado, na Terçafeira, em Mbanza Kongo, pelo governador provincial, Pedro Makita Armando Júlia, quando falava no encontro do conselho de auscultação da comunidade. Justificou que, entre outras razões, o Soyo, que dista mais de 300 quilómetros de Mbanza Kongo, detém uma vasta rede hoteleira capaz de acomodar muitas delegações.

O governador informou que neste certame participarão entidades nacionais e internacionais, com destaque para os peritos do Património Mundial da Unesco. Caravanas artísticas dos países que integravam o antigo território do Reino do Kongo ( RDC, Congo Brazzaville e Gabão), além de representantes do Benin e dos Camarões também participarão neste evento. O Festikongo faz parte das nove exigências colocadas pela Unesco aquando da inscrição do Centro Histórico da capital do antigo Reino do Kongo na lista do Património Mundial, a 8 de Julho de 2017.

Segundo a mesma recomendação, este evento deverá realizar-se, durante três anos consecutivos, em Mbanza Kongo, cabendo depois às autoridades nacionais e locais definir a periodicidade para a sua promoção nos anos subsequentes, sempre na mesma cidade. Dados fornecidos pelo director do Gabinete Provincial do Zaire da Cultura, Turismo e Juventude e Desportos, Biluka Nsakala Nsenga, dão conta de que a rede hoteleira da cidade de Mbanza Kongo dispõe, actualmente, de mais de 300 quartos, insuficientes para atender à demanda.

Biluka Nsenga, que falava à Angop à margem do encontro do conselho de consultação da comunidade, avançou que a agenda de actividades inclui espectáculos musicais, feira de livros, discos, gastronomia, desfile de moda, workshops e outras. O Sítio Histórico de Mbanza Kongo ostenta a categoria de Património Cultural da Humanidade, desde 8 de Julho de 2017, atribuída pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO). Mbanza Kongo foi a capital do antigo Reino do Kongo, que abarcava Angola, República do Congo, República Democrática do Congo (RDC) e o Gabão.

error: Content is protected !!