Carta do leitor: Afinal não somos solidários

POR: Filomeno Ndombele

Caro director, Nós, os angolanos, afinal não somos nada solidários, apesar de se falar muito nisso. quando há campanhas para responder a uma calamidade, se se organizarem festas e tudo o mais, os angolanos aparecem, oferecem algumas coisas, às vezes até oferecem muito, mas também raramente vemos como as ofertas são usadas depois. E como aqui o desvio de bens é quase uma “obrigação” nacional, as pessoas que davam ficaram retraídas, porque muitos se aproveitam do sofrimento dos outros. Também devemos pensar que sempre podemos precisar da ajuda dos outros, por exemplo, doando sangue, mas prece que ninguém pensa nisso. Esta semana as notícias sobre o sangue que se doa em Angola deixaram-me triste, porque não há sangue suficiente paras as necessidades, as pessoas só doam para familiares seus ou se lhes pagam. É triste. Onde fica afinal a solidariedade? Acho que afinal não somos nada solidários como se fala. O nosso problema é este mesmo, falamos e achamos que assim já está, é mentira. quero só deixar aqui a minha palavra de agradecimento às pessoas que doam voluntariamente o seu sangue sem saber para quem, apenas sabendo que vai ajudar a salvar vidas.

error: Content is protected !!