Festikongo pode dinamizar turismo cultural em Mbanza Kongo

Os munícipes, que falaram à Angop, acreditam haver potencialidades para se alavancar este segmento do turismo

Os munícipes de Mbanza Kongo, província do Zaire, manifestaram- se optimistas na dinamização do turismo cultural com a realização, de 5 a 8 de Julho, do Festival Internacional da Cultura e Artes (Festikongo). Os munícipes que falaram à Angop acreditam haver potencialidades para se alavancar este segmento do turismo, bastando que sejam feitos investimentos na qualificação de pessoal e criação de infra-estruturas para o efeito.

O jovem Coragem Agostinho Vicente entende que o património histórico e cultural excepcional desta capital do antigo Reino do Kongo desperta interesse no país e além-fronteiras, pelo que acredita numa revolução do turismo na vertente cultural e científica após o festival. “Acredito que virão muitos estudiosos da cultura Kongo, que deverão abrir a rota para que Mbanza Kongo seja realmente um destino preferencial para muitos outros académicos que se dedicam às ciências históricas”, sublinhou. Na opinião de Paulino Jorzinho, a realização do Festikongo vai de encontro ao desejo de muitos munícipe que vêem neste certame a possibilidade de Mbanza Kongo poder expor toda a sua potencialidade cultural, para atrair mais turistas nacionais e estrangeiros.

Segundo o interlocutor, a presença dos países que faziam parte do antigo território do Reino do Kongo (RDC, Congo Brazzaville e Gabão) vai enriquecer ainda mais o evento e permitir a divulgação, com maior abrangência, dos usos, hábitos e costumes da cultura Kongo. Maria Madalena mostrou-se um pouco apreensiva pelo facto de esta cidade contar com fraca rede hoteleira para poder acolher todos quantos desejam participar neste festival, daí o apelo aos empresários do ramo a investirem na localidade. Desejou que as poucas hospedarias disponíveis afinem os preparativos para receberem de forma condigna os visitantes, apelando para que as unidades de restauração apostem mais na culinária típica da região, para satisfazer a curiosidade de turistas estrangeiros de degustarem os pratos locais.

No âmbito da preparação do Festikongo, algumas zonas e recintos dos monumentos e sítios históricos de Mbanza Kongo estão a ser requalificados, para dotá-los de boa iluminação, passeios e zonas verdes, entre outras valências. Decorrem também trabalhos de pavimentação e iluminação do largo António Agostinho Neto, adjacente ao edifício principal do governo provincial, onde deverão decorrer os principais eventos culturais e artísticos como espectáculos musicais, exposições de produtos de arte, culinária, entre outras actividades. O cine clube local comandante “Bula” também está em obras, devendo albergar colóquios, workshops e outros encontros académicos. O Festikongo faz parte das nove exigências colocadas pela Unesco aquando da inscrição do Centro Histórico da capital do antigo Reino do Kongo na lista do Património Mundial, a 8 de Julho de 2017.

error: Content is protected !!