Mercado segurador em 2019: Desafios

POR: Tatiana Novais

Uma seguradora é uma entidade financeira credível em quem os clientes particulares e empresas confiam ao transferirem os seus riscos. Falar do nosso mercado segurador e seus desafios, em particular nas emissões de novos negócios e renovações, no contexto atual da nossa economia, com mais de 20 seguradoras no mercado angolano. Este mercado é exigente, tremendamente desafiador e muito concorrido no que diz respeito aos prémios e taxas, condições gerais e particulares, condições especiais, exclusões. Considerando a situação cambial que vive o nosso país e que a curto e médio prazo afeta a relacionamento das seguradoras com os resseguradores nos casos em que os riscos envolvem limites muito elevados, com a dificuldade em pagar divisas fora do país surge a necessidade de optar pelo cosseguro, dispersando o risco a nível local. As seguradoras devem apostar fundamentalmente em novos produtos e melhores sistemas, mais rápidos, com melhor e maior capacidade de resposta (automatizar), para que as emissões sejam céleres e com menos erros. Sistemas que permitam aos clientes solicitarem os seguros, efetuarem os pagamentos e receber a apólice e documentação conexa, principalmente os certificados de seguro, sem se deslocarem para as seguradoras; que ajudem as seguradoras a controlar com rigor as renovações, taxas de sinistralidade, descontos, comissões, relatórios e procedimentos. Nesta senda, as seguradoras devem também investir em canais de distribuição que possam ir ao encontro dos clientes atuais e potenciais e das suas necessidades, tendo em linha de conta a evolução das tecnologias de informação e comunicação e também do impacto das redes sociais na obtenção de feedback dos clientes. As seguradoras não devem esquecer-se que agora têm de lidar com um cliente cada vez mais e melhor informado e por este motivo mais exigente e menos tolerante aos erros nas emissões de documentos de seguro. Isto fará com que as seguradoras apostem mais na formação da sua força de trabalho. Para os próximos tempos, cada seguradora deverá desenvolver e implantar novos produtos ligados aos ramos vida e não-vida. Trabalhando muito criteriosamente nas condições e coberturas para oferecer aos clientes maior segurança. Produtos “tailor-made” que vão ao encontro das novas exigências do Mercado e consequentemente fidelizar os clientes. Para concluir, devo referir que as empresas Seguradoras devem estar preparadas e capacitadas com as ferramentas, sistema de arquivos, recursos humanos, “know how”, e dotadas financeiramente, para responder rápida e eficientemente a cada novo desafio do Sector Segurador. Directora Adjunta de Operações – SAHAM Angola Seguros

error: Content is protected !!