Estado pode arrecadar USD 110 milhões com privatização de fazendas

O Estado angolano poderá arrecadar cerca de USD 110 milhões com a privatização via concurso público, aberto a 16 de Junho deste ano, de quatro fazendas localizadas nas diferentes províncias do país com uma área total de 42 mil hectares.

Trata-se do projecto Agro-Industrial da Fazenda do Longa, na província do Cuando-Cubango, de desenvolvimento Agrícola de Camaiangala, na província do Moxico, Fazenda Agro-Industrial do Cuimba, na província do Zaire, e a Fazenda de Desenvolvimento Agrícola de Sanza Pombo, na província do Uíge.
Na ocasião, a chefe do departamento de privatização do Instituto de Gestão de Activos e Participações do Estado (IGAPE), Ana Paulo, afirmou que os preços de referência das referidas fazendas estão avaliados entre 22 a 35 milhões de dólares norte americanos.
A responsável, que falava à imprensa na apresentação do concurso público para a privatização de quatro fazendas, uma iniciativa do Instituto de Gestão de Activos e Participações do Estado (IGAPE), afirmou que vai se estender até Setembro deste ano, fase da análise das ofertas finais e adjudicação das vendas.
Por sua vez, Gilberto Luther, administrador Executivo do IGAPE explicou que para o Estado o mais importante, neste segundo processo de alienação, é priorizar investidores nacionais ou estrangeiros que consigam activar, dinamizar a capacidade produtiva e a criação de emprego.
As quatro fazendas dispõem de infra-estruturas, que vão desde edifícios e maquinarias.
Por sua vez, o membro da comissão de avaliação do Ministério da Agricultura, Carlos Paim, fez saber que as fazendas estão prontas para começar a produzir, como é caso da Fazenda do Longa, que na época agrícola 2014/2015 produziu quatro mil toneladas de arroz.
No mesmo período a fazenda Camaiangala produziu três mil toneladas de milho.

error: Content is protected !!