LIMA comemora 47º aniversário no Cuanza-Sul

A Liga da Mulher Angolana (LIMA), organização feminina da uNItA, realiza no dia 29 deste mês, no Sumbe, capital da província do Cuanza-Sul, um acto político de massas por ocasião do 47º aniversário da sua fundação

Sob o lema LIMA “47 Anos de Luta pela Valorização e Dignificação da Mulher Angolana”, o aludido acto será presidida pela sua presidente, Helena Bonguela Abel, segundo fonte deste jornal. Em alusão à data, o Secretariado Nacional da LIMA distribuiu nesta Terça-feira, 18, em Luanda, uma declaração na qual apresenta a sua singela homenagem e gratidão ao presidente fundador da UNITA, Jonas Malheiro Savimbi.

“Pelo esforço empreendido para que a Mulher desperte e saía da dupla escravatura, e, ao lado do homem, assumir o seu verdadeiro lugar, engajando- se na luta de Libertação nacional e na reconstrução do país”, lê-se numa das passagens da declaração. A LIMA saúda e felicita, também, o actual presidente da UNITA, Isaías Samakuva, por ter trabalhado e tornado possível a realização condigna das exéquias de Jonas Savimbi, sepultado a 1 de Junho deste ano na aldeia de Lopitanga, a 32 quilómetros a Oeste do Andulo, sede do município com o mesmo nome, ao lado dos seus progenitores, Loth Malheiro e Helena Mbundu.

Crianças

Na declaração, esta organização deplora o estado de vulnerabilidade das crianças angolanas e apela ao Governo para o cumprimento escrupuloso dos 11 Compromissos da Criança e criar políticas consentâneas que visem melhorar a condição sócio-económicas das famílias, em geral, e, em particular, da Mulher, para garantir o bem estar desta. A LIMA foi fundada a 18 de Junho de 1972 nas margens do rio Kutaho, Massivi, na província do Moxico, e foi ratificada no 3º Congresso da UNITA em 1973 pelo seu então líder fundador.

O seu surgimento correspondeu ao imperativo da sua participação na luta para a conquista da liberdade e, ao longo do percurso histórico da UNITA, esteve sempre ao lado dos homens nas várias lutas para a auto-derminação de Angola. Para além da sua primeira presidente, Helena Sapassa, já ocuparam o cargo a antiga líder do Grupo Parlamentar da UNITA, Alda Sachiambo, e Miraldina Jamba, estas últimas após a assinatura dos Acordos de Paz a 4 de Abril de 2002, que colocou fim o conflito armado de 27 anos.

error: Content is protected !!