Governador quer mais pedagogia na actuação da Polícia

O governador da provícia da Lunda-Sul, Daniel Neto defendeu neste Sábado, em Saurimo, a necessidade de os polícias actuarem dentro dos marcos da lei, usando métodos pedagógicos e não o uso excessivo da força Falando no acto provincial das comemorações dos 40 anos da criação do Ministério do Interior, assinalado ontem, acrescentou que o uso excessivo da força por parte dos efectivos pode inspirar o cidadão a rebelar-se, o que não abona em nada a imagem da corporação.

Segundo Daniel Neto, o Executivo continua empenhado na criação de soluções estratégicas consistentes e exequíveis, tendentes preservar e combater a criminalidade, visando a restabelecer o sentimento de segurança na população, pelo que exorta a Polícia a aperfeiçoar cada vez mais os métodos de actuação.

Disse ainda que os órgãos do Ministério do Interior devem ser sinónimo de segurança e não de insegurança, abstendo-se, os seus efectivos, de práticas nocivas que lesem o bom nome da instituição, mormente nos casos de uso excessivo de bebidas alcoólicas em pleno exercício do dever, o que resulta na facilitação dos infractores através da troca de favores.

Reconheceu que os meios financeiros, materiais e humanos ao dispor das forças da ordem são ainda irrisórios, o que, de certo modo, tem dificultado a pronta intervenção dos órgãos do Ministério do Interior. Por sua vez, o delegado provincial do Interior na Lunda-Sul, comissário Mário Luís, fez saber que no âmbito da prevenção e regulação rodoviária, realizada de Junho de 2018 até Junhos deste ano por diversas infracções ao código de estrada, foram aplicadas 1,592 multas, que resultaram na arrecadação de 30 milhões e 173 mil e 743 kwanzas. Acrescentou que foram igualmente apreendidas 251 motorizadas de diversas marcas e cilindradas, por falta de documentos, não uso do capacete e excesso de lotação.

Foram detidos 22 imigrantes ilegais, de República Democrática do Congo, Mali, Guine Conacri e Zâmbia, e consequentemente expulsos do país, através das fronteiras do Txissanda (Lunda-Norte) Chiluange (Lunda-Sul) e Luau, no Moxico. Quanto aos serviços prisionais, estão encarcerados 226 condenados, 214 detidos, dos quais 134 inseridos no processo de alfabetização e 207 aprendem artes e ofícios, 39 no campo agrícola e 36 num curso de informática. No final do acto foram entregues 11 motorizadas aos efectivos do Serviço de Investigação Criminal (SIC), Serviço de Migração Estrangeiro (SME), Bombeiros e Polícia Nacional (PN), com vista a facilitar o seu trabalho.

leave a reply