tribunal julga mulher que agrediu a professora do filho com mangueira

Começou, na última Sexta-feira, no tribunal Provincial de Luanda, o julgamento de Vanja Marta Muongo Sebastião francisco, a encarregada de 37 anos que, no ano passado (em Abril), agrediu a professora do seu filho com uma mangueira, em plena sala de aula, na Centralidade do Kilamba

A história de Vanja contra a professora do seu filho tornou-se viral no ano passado, pelo facto de ter decidido bater na professora com a mesma mangueira usada por esta para repreender os alunos. A ré, que por sinal é psicóloga, surpreendeu a vítima, Maura Sebastião Lucas, em plena sala de aula na escola “Gruta do Zenzo” e, com a mangueira que a docente usou para repreender o seu filho, agrediu-a. Embora venha acusada pelo Ministério Público, a cidadã, que terá tomado aquela atitude pelo facto de a professora ter repreendido o seu filho de cinco anos, negou ter agredido a professora que intentou uma acção judicial.

O pior só não aconteceu porque houve a pronta intervenção das outras professoras, que foram arroladas como declarantes. A professora, resultantes da agressão sofrida, ficou com lesões graves no corpo e, por um período de 18 meses ficou impossibilitada de ir ao trabalho.

Diante da juíza da causa, Isabel Tona, a ré negou novamente ter praticado a agressão e diz que não chegou a concretizar- se porque as suas colegas intervieram. Para sustentar a acusação juntou- se aos autos elementos recolhidos pelo Serviço de Investigação Criminal (SIC) sobre os exames médicos, que dão como provada a agressão sofrida pela professora. Vanja Marta Francisco, que está a ser julgada pelo crime de ofensas corporais, cuja moldura penal é de seis a oito anos de prisão, que pode ser convertida em multa, terá ainda a obrigação de reparar os danos à ofendida, caso seja condenada.

 

 

error: Content is protected !!