Gisele Bündchen faz revelações inesperadas no seu novo livro

De Olívia Palito a bomba brasileira, Gisele Bündchen é o rosto e o corpo de uma era. No livro que agora chega a Portugal, faz revelações surpreendentes sobre um trajecto de luzes e sombras

Gisele Bündchen foi o rosto e o corpo de uma era. Substituiu as modelos brancas e sem formas e trouxe de volta as curvas que as supermodelos dos anos 1980 e 1990 eternizaram. Uma ascensão improvável quando olhamos para as suas origens. É uma de seis irmãs nascidas e criadas no interior do sul do Brasil. Aos 14 anos, cortou o cordão umbilical e mudou- se, sozinha, para São Paulo. Desde então, nunca mais parou de correr o mundo. De Olívia Palito a brazilian bombshell, a viragem do milénio foi o momento da sua consagração. Nos anos seguintes, conquistou lugar cativo na lista das manequins mais bem pagas do mundo.

Hoje, aos 38 anos, casada com uma estrela de futebol americano e com dois filhos, vive e trabalha longe dos holofotes das passerelles, dedicada, sobretudo, a causas ambientais. Um caminho feito de boas e de más decisões, todas elas partilhadas no livro Lições — O Meu Caminho Para uma Vida Com Sentido, agora editado em Portugal. Gisele é, na verdade, a personificação do sonho improvável que se torna realidade. E, ao fim de quase 250 páginas, eis as revelações mais surpreendentes. “Foi a minha primeira viagem de avião” Gisele Caroline Bündchen nasceu a 20 de Julho de 1980. Cresceu em Horizontina, uma pequena cidade do Estado brasileiro do Rio Grande do Sul, a uma hora da fronteira com a Argentina.

Aos 13 anos, a mãe inscreveu-a num curso para manequins, com o objectivo de corrigir a má postura. Seguir uma carreira na moda nunca foi um sonho — imaginava-se como jogadora profissional de voleibol ou como veterinária. Mas foi numa excursão a Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro, 27 horas de viagem num autocarro — que chamou a atenção de um caça-talentos da Elite Model Management. Em 1994, ficou em segundo lugar no Elite Look of the Year. A boa classificação na competição fê-la voar até Ibiza, para participar na etapa mundial do concurso. “Foi a minha primeira viagem de avião, a primeira vez que saí do Brasil. E acabei por ficar entre as dez finalistas. Tudo estava a acontecer muito, muito rápido”, escreve logo nas primeiras páginas.

error: Content is protected !!