CASA-CE em Benguela reestrutura secretariados a pensar já nas autarquias

CASA-CE em Benguela reestrutura secretariados a pensar já nas autarquias

POR: Constantino Eduardo, em Benguela

Apesar de o processo estar a decorrer a bom ritmo, como diz, o Secretariado Executivo Provincial de Benguela continua a reprovar a atitude dos anteriores secretários municipais, na sua maioria independentes, que se terão apropriado do património da coligação e ainda não o devolveram. O secretário provincial desta força política, Zeferino Cuvíngua, disse a OPAÍS, ontem que, dentro das limitações orçamentais, vai-se fazendo a reposição do património de modo a conferir mais dignidade aos secretariados municipais.

O responsável afirmou que a sua agremiação política em Benguela vai resolvendo o passivo “pesado” herdado da antiga direcção de Francisco Viena, caso contrário ver-se-á em dificuldades para competir em pé de igualdade com os adversários políticos nos próximos compromissos. “Nós estamos a colocar os secretários municipais, mas estamos a viver os mesmos problemas de não termos o património, porque foi levado pelos secretários municipais que o retêm”, acrescentou. O novo “homem forte” em Benguela disse que quer ver a CASACE num ritmo normal de mobilização, apesar de o partido estar a trabalhar também para a amortização de algumas dívidas calculadas, em mais de um milhão de kwanzas, contraídas pela antiga direcção.

No quadro desta reestruturação, foi apresentada na passada semana a nova secretária para o município do Chongorói, Abília Kalongole Singue. Zeferino Cuvíngua explicou que a reestruturação se consubstancia na potenciação e capacitação dos dirigentes, tendo em conta as próximas eleições, autárquicas previstas para 2020. Manifestou o desejo de que as mesmas se realizem em todos os municípios do país, ao contrário do modelo defendido pelo MPLA.

Recuperação de património

Do património ainda em posse dos independentes, o responsável diz ter recuperado, até aqui, apenas uma viatura e está a trabalhar para reaver uma outra. Face ao actual cenário que caracteriza de preocupante, uma vez que a falta de património poderá condicionar, em certa medida, a gestão partidária, o secretário provincial promete trabalhar para que o património volte para a CASA. “Enquanto dirigente da CASA- CE, defendemos também o património e vamos continuar a lutar para que este património esteja nas nossas mãos”, concluiu Zeferino Cuvíngua.