Angola eliminada do CAN:Mal(i) outra vez

Mal(i) outra vez!.. No CAN 2019 que decorre no Egipto, Angola regressa mais cedo a casa. Os malianos, depois do 4-4 em Luanda, em 2010, despacharam ontem os Palancas Negras por uma bola a zero no grupo E

O Mali voltou a ser, ontem, o pesadelo de Angola num CAN, agora no de 2019, que decorre no Egipto desde o mês passado. Na última jornada do grupo E, as Águias afastaram os Palancas Negras da maior festa do desporto rei no continente africano. Em Ismailia, os malianos venceram os angolanos por uma bola a zero, resultado que deixou os adeptos cabisbaixos nas bancadas. Aos trinta e cinco minutos, numa jogada que partiu do meio-campo maliano, o médio Amadou Haidara fez o único golo da partida. Depois do golo, os pupilos de Srdjan Vasilevic procuraram o empate, mas os atletas de Mohamed Magassouba souberam defender-se. Mesmo assim, os Palancas Negras subiram as linhas ofensivas para criar dificuldades às Aguias no meio campo.

Mas, estes foram mais inteligentes, porque seguravam a bola e saíam a jogar sem sobressaltos da defesa ao meio campo. Antes de o árbitro mandar todo o mundo para os balneários, os malianos queriam chegar ao golo, mas sem muita aficácia. No reatamento, os dois treinadores não fizeram quaisquer alterações nas suas equipas, ainda assim entraram bem no jogo. Angola, como procurava pelo golo do empate, foi mais ousada e actuava mais pelos corredores para surpreender. O Mali, mais atento às intenções do adversário, fechou-se e atacava sempre que tivesse a posse de bola no meio campo. Mesmo com Dany Massunguna e Bastos Quissanga no eixo defensivo, a precipitação era tanta que só beneficiava os avançados malianos.

Por esta razão, apostaram no ataque com jogadas estudadas e isto inibia sempre a subida dos lateriais. O avançado Gelson Dala, com toques de bola de primeira água, dava um ar da sua graça, mas a marcação era feita milimetricamente e o apoio no meio campo deixava a desejar, Show e Herenilson erravam muito nas jogadas curtas e longas. Antes do apito final, os angolanos tinham noção de que estavam fora do CAN, porque as esperanças ofensivas eram remotas. Com este resultado, o Mali volta a ser o pesadelo de Angola pela segunda vez numa prova africana de futebol. A primeira vez deu-se no CAN 2010, que Angola acolheu nas cidades, de Cabinda, Benguela, Huíla e Luanda. Em pleno Estádio 11 de Novembro, os Palancas Negras venciam por 4-0, mas no reatamento as Águias recuperaram. Quando faltavam dez minutos para o apito final, o avançado Frederick Kanoute, os médios Mamadou Diarra e Seidou Keita empataram a partida, sendo que “gelaram” mais de quarenta mil almas nas bancadas.

Djalma faz o único golo dos Palancas Negras

O avançado angolano Djalma Campos, marcou o único golo dos Palancas Negras no CAN 2019, frente a Tunísia na primeira jornada (1-1). O internacional fez o golo na ressaca de uma jogada conduzida a partir do meio campo e no remate salvou a honra do grupo. Depois do empate, as esperanças foram renovadas, mas o empate sem golos na segunda ronda com a Mauritânia azedou o futuro dos Palancas Negras.

O avançado Wilson Eduardo foi várias vezes servido por Gelson, mas não soube tirar proveito dos lances e os traduzir em golos. Assim, Angola ocupa a quarta posição no grupo somente com dois pontos, os mesmos que a Mauritânia. Por sua vez, o Mali foi o vencedor da série ao fazer sete pontos em três jogos na fase de grupos que ontem terminou. A Tunísia foi a segunda classificada com três pontos, pelo que deverá cruzar com os Camarões ou a Côte d’Ivoire nos oitavos-de-final. Por ser uma fase a eliminar, os tunisinos estudam melhor o perfil dos adversários.

error: Content is protected !!