Reabilitação da escola Angola e Cuba avaliada em mais de 315 milhões

O dinheiro será disponibilizado pelo Executivo angolano, através do PII M, um programa que visa reduzir os níveis de pobreza nos 164 municípios do país, intervindo nos sectores de Energia, Água, Educação e Saúde, bem como no saneamento básico e construção de vias

O Executivo vai investir 315 milhões e 113 mil e 500 Kwanzas na reabilitação da escola Angola e Cuba, no município do Cazenga, em Luanda, no âmbito do Programa Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM). Paralisada desde 2009 por alegado risco de desabamento, a infra- estrutura poderá sofrer uma remodelação a partir de 2020, segundo o relatório divulgado recentemente e a que o OPAÍS teve acesso. Da referida listagem constam ainda outras 11 escolas localizadas no município em questão, das quais umas serão reabilitadas e outras ampliadas. A título de exemplo, destaca-se a construção de uma escola de 12 salas de aulas, avaliada em 820 milhões e 658 mil e 1 Kwanzas, bem como a construção e o apetrechamento de escolas primárias orçadas em 336 milhões de Kwanzas.

Deste modo, a execução do (PIIM) virá “fechar” o ciclo de negociações e diligências desencadeado pela Administração do município do Cazenga no que concerne a reabilitação. Sobre o assunto, em depoimento à Angop, o então director do Gabinete de Estudo, Planeamento e Estatística da Administração do Cazenga, António Cabingano, referiu que estavam a ser criadas condições para o lançamento do concurso público, no qual seria seleccionada a empreiteira para a execução da obra. “O processo para a reabilitação da escola já teve outros contratos, mas foi necessário rescindir o acordo com a empresa que havia sido contratada em 2018 porque não possuía aptidão e demonstrou insuficiências e incapacidade para a execução das obras”, disse.

Por seu turno, o governador da província de Luanda, Sérgio Luther Rescova, por ocasião da visita de trabalho recentemente efectuada ao local, solicitou que fossem imputadas responsabilidades, visto que desde 2018 haviam sido gastos 44 milhões de Kwanzas para a reabilitação da infra-estrutura, mas até à data nada teria sido feito. “Não se justifica o dinheiro que o Estado disponibilizou para a reabilitação da escola, uma vez que não se fez absolutamente nada, prejudicando a população”, lamentou o governador. A escola Angola e Cuba (3042), com 25 salas de aulas, é uma das mais antigas do município do Cazenga. Foi erguida por técnicos cubanos no quadro da cooperação entre Angola e Cuba, dois parceiros estratégicos desde a década de 1970. O PIIM é um programa de iniciativa presidencial a ser executado nos 164 municípios do país.

leave a reply