Vice-PR preside a abertura do “FestiKongo’2019”

O vice-presidente da República, Bornito de Sousa, preside sexta-feira (5 de Julho), na cidade de Mbanza Kongo, província do Zaire, a abertura da 1ª Edição do Festival Internacional da Cultura Kongo “FestiKongo’2019”.

Durante a permanência em Mbanza Kongo, Bornito de Sousa vai orientar a III Reunião Ordinária da Comissão Nacional Multissectorial para a Salvaguarda do Património Cultural Mundial, informa em nota o Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa dos Órgãos de Apoio do vice-presidente da República.

A referida comissão, criada pelo Presidente da República, em Março de 2018, visa promover a implementação de programas de conservação e a gestão participativa do património cultural.

Da agenda da reunião consta, também, a análise do Plano Estratégico de Desenvolvimento para os Centros Históricos e do relatório síntese sobre a implementação das recomendações da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) sobre o Centro Histórico de Mbanza Kongo.

Inserido nas festividades do Dia da cidade de Mbanza Kongo, que se assinala a 8 de Julho, o “FestiKongo” corresponde a uma das nove recomendações da UNESCO, no âmbito da inscrição do Centro Histórico da capital do antigo Reino do Kongo na Lista do Património Mundial.

FestiKongo capitaliza atenção da África Central

A primeira edição do Festival Internacional da Cultura e das Artes Kongo (FestiKongo) capitaliza a partir de sexta-feira o mundo cultural da África Central.

Durante três dias (5 a 8), de acordo com a ministra da Cultura, Maria da Piedade de Jesus, que falava à imprensa, o programa inclui festival de gastronomia, moda, artesanato, workshops com representações da cultura, hábitos, costumes e modo de vida dos povos de Angola, RDCongo, Gabão e Congo Brazzaville.

Maria da Piedade de Jesus afirmou que o evento se reveste de capital importância pelo facto de juntar num único espaço várias culturas da região central de África.

A governante adiantou que tudo está feito no sentido de o evento atingir a dimensão que se pretende dar, tendo em conta a valorização, promoção/divulgação e preservação da história e cultura do antigo Reino do Kongo.

O FestiKongo contará com a participação especial dos artistas angolanos Sam Mangwana, Banda FM, João & Lina Alexandre, Eduardo Paim, Chana Vice, Kyaku Kyadaff, Júlio Gil, Yembe, Rui Kyame, Waldemar Bastos, Ricardo Lemvo, Dodó Miranda, Socorro, Nsimba Reoboth, Irmã Joly, Lutchana Mobulu, W King, Noite&Dia, Walter Ananaz.

A representar a República do Congo estará o músico Roga Roga, para além de outros nomes.

A iniciativa do Governo de Angola visa celebrar o segundo aniversário da elevação da cidade de Mbanza Kongo a Património da Humanidade.

Mbanza Kongo, capital do antigo Reino do Kongo é detentora de um património material e imaterial excepcional. A cidade foi inscrita na lista do Património Mundial da Unesco a 8 de Julho de 2017, durante a 41ª Sessão do Comité deste órgão, que decorreu na cidade de Cracóvia, Polónia.

Dada a importância deste feito histórico, o 8 de Julho foi adoptado como o Dia da província do Zaire.

Nesta data o Comité do Património Mundial da Unesco declarou por unanimidade Mbanza Kongo, vestígios da capital do antigo Reino do Kongo, como património mundial e a sua inscrição na lista consagra o valor universal excepcional de uma propriedade cultural ou natural, para que seja protegida em benefício da humanidade.

Mais de dois mil efectivos mobilizados 

Dois mil e 600 efectivos do Ministério do Interior estão mobilizados para assegurar a primeira edição  do Festikongo .

A informação foi avançada hoje (quinta-feira), pelo Secretário de Estado do Ministério do Interior, José Bamokina Zau, à saída do encontro com os membros da subcomissão de asseguramento deste evento.

O responsável fez saber que esta operação contará também com a colaboração de efectivos da Segunda Divisão de Infantaria Motorizada das Forças Armadas Angolanas (FAA) destacadas na região.

Quanto as caravanas artísticas estrangeiras (RDC, Congo Brazzaville e Gabão), o secretário de Estado avançou que deverão entrar na província por via dos postos fronteiriços terrestres do Luvo (Mbanza Kongo), Nóqui e fluvial de Kimbumba (Soyo).

Nestes locais, disse, foram destacados agentes do Serviço de Migração e Estrangeiros (SME) especializados, para de forma célere atenderem a entrada das comitivas artísticas e outros acompanhantes.

Nas principais vias de acesso a Mbanza Kongo, a partir de Luanda e da província do Uige foram também identificados os pontos de entrada e saída, assim como as rotas que as viaturas deverão seguir para facilitar a circulação.

Pediu cautela aos automobilistas para se evitar acidentes rodoviários, frisando que o Minint instalou alguns postos de agentes reguladores de trânsito ao longo das vias para as acções de sensibilização.

Mbanza Kongo, capital do antigo Reino do Kongo, é detentora de um património material e imaterial excepcional.

A cidade foi inscrita na lista do Património Mundial da Unesco a 8 de Julho de 2017, durante a 41ª Sessão do Comité deste órgão, que decorreu na cidade de Cracóvia, Polónia.

leave a reply