Putin encontra-se com papa em plena crise com a ucrânia e chega atrasado

O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, encontrouse com o Papa Francisco nesta Quinta-feira, um dia antes da chegada de líderes católicos da Ucrânia ao Vaticano para debater a crise do seu país e elevando especulação de que a visita poderia ser o prelúdio da primeira de um Papa à Rússia. “Obrigado pelo tempo que me dedicou”, disse Putin no final da conversa de 55 minutos. “Foi um debate muito substantivo e interessante”, disse Putin, ao sair da sala particular que o pontífice usa para ocasiões oficiais.

Os detalhes da conversa não foram divulgados de imediato. Putin, que já viu Francisco duas vezes, chegou ao compromisso desta Quinta-feira com uma hora de atraso. Ele se atrasou 50 minutos no seu primeiro encontro com Francisco em 2013 e mais de uma hora no segundo encontro de 2015. Após a sua ida ao Vaticano, Putin deveria encontrar-se com o Presidente e o primeiro-ministro da Itália e voltar a Moscovo no final do dia, após um jantar oficial. Acredita-se que a Ucrânia, que continua a ser um tema difícil nas relações entre o Vaticano e a Rússia, seria um dos principais tópicos da conversa na biblioteca papal oficial no Palácio Apostólico do Vaticano. Quando se encontraram pela última vez, em 2015, o Papa pediu a Putin um “esforço sincero e grande” para fazer as pazes com Kyev e ajudar a encerrar os combates entre forças do Governo ucraniano e rebeldes separatistas pró-Rússia no Leste. Na Sexta-feira, líderes da Igreja Católica da Ucrânia e autoridades do Vaticano iniciam dois dias de reuniões para tratar de vários problemas da nação, uma ex-república soviética.

O mundo religioso ucraniano se agitou no ano passado, quando a Igreja Ortodoxa local, que na prática passou séculos sob controlo da Igreja Ortodoxa russa, declarou a sua Independência e criou uma Igreja nacional. A Rússia não aceita que a Igreja Ortodoxa ucraniana se auto-governe, dizendo que a medida tem motivos mais políticos do que religiosos.

Putin alinhou-se estreitamente à Igreja Ortodoxa russa e acusou o Governo de Kyev de interferir flagrantemente na vida ortodoxa da Ucrânia. O seu encontro com o Papa nesta Quinta-feira ocorreu três anos depois de Francisco ter conversas breves com o patriarca ortodoxo russo Kirill em Cuba, um gesto significativo para curar o cisma de mil anos entre os ramos ocidental e oriental do cristianismo.

error: Content is protected !!