Biblioteca comunitária no Cazenga “dá vida” na formação de crianças e jovens

O projecto começou debaixo de uma árvore em 2009 e conta actualmente com mais de 2600 livros de diversas áreas do saber, vai dedicar-se também ao ensino das línguas nacionais Kimbundu, Umbundu e Kikongo, de música, teatro e dança

Uma biblioteca comunitária foi inaugurada ontem no distrito urbano do Kima- Kieza, no município do Cazenga, para ajudar e incentivar o aumento do nível de leitura de crianças e jovens daquela zona periférica na província de Luanda. A iniciativa é de um grupo de três jovens angolanos ali residentes, que, identificando a escassez de espaços de leitura no Cazenga, tomou a iniciativa de recolher livros para pôr crianças e jovens a ler. O projecto começou debaixo de uma árvore em 2009, com apenas 100 livros dos próprios jovens que metiam crianças e adolescentes a ler.

Posteriormente, algumas pessoas comoveram-se com a causa e foram doando mais títulos. Antes da sua inauguração, a biblioteca já funcionava de forma experimental e hoje recebe diariamente 30 a 40 jovens, adolescentes e crianças, na sua maioria estudantes que procuram mais pelos livros académicos e infantis, segundo Ernesto Muacanda, um dos responsáveis. Muacanda frisou que encurtar a distância entre as bibliotecas e os interessados da cidade em ler um livro foi um dos objectivos.

Línguas nacionais

De acordo com Muacanda o seu grupo vai passar a ministrar, nos próximos tempos, cursos de línguas nacionais, particularmente o Kimbundu, Umbundo e Kikongo, dirigidos a crianças, por entender que nesta área de Luanda é necessário abalizar os petizes com línguas que os aproximem mais da cultura angolana. “Temos livros e alguns materiais básicos de línguas nacionais e vamos trabalhar com algumas pessoas do ISCED que estavam a trabalhar na tradução do Hino Nacional do português para as nossas línguas”, disse, Ernesto Muacanda, acrescendo que os cursos terão início no mês de Setembro.

Outro foco está virado para o ensino das artes, como a música, dança, teatro e artes plásticas, bem como nas oficinas de Matemática, Física e Química. Jaime Vunzatoko, 11 anos, estudante da 3ªclasse, é um dos petizes que encontrou no centro um local para aproveitar os seus tempos livres e melhorar o seu rendimento escolar. Diz que frequenta a biblioteca há uns dois meses e que foi aqui onde ouviu pela primeira vez falar de Agostinho Neto, Holden Roberto e Jonas Savimbi, líderes dos três movimentos de libertação de Angola (MPLA, FNLA e a UNITA). Já Luís Álvaro, estudante da 9ª classe, disse que foi a primeira vez que visitou o centro e que gostou: “a partir de hoje vou começar a frequentar esta biblioteca para ler”.

Apoios e dinamização

A biblioteca está situada na Rua do Alfa-5, bairro dos Combustíveis, num espaço de aproximadamente 20 metros quadrados, propriedade dos próprios jovens, mas carece de algumas melhorias para o seu funcionamento. Mesas e cadeiras, prateleiras e computadores e portas são, entre outras, as necessidades da biblioteca. Recentemente recebeu o apoio da associação Visão Propósito Acção (VPA), que disponibilizou mais de um milhão de Kwanzas para a reabilitação do espaço, colocação de uma casa de banho, pintura, etc, mas que não foi suficiente. Os jovens dizem já terem contactado a Administração em várias ocasiões para possíveis ajudas. “Foi prometido muita coisa, até a reabilitação do espaço, mas até hoje recebemos apenas 200 livros do antigo administrador, Tany Narciso. Achamos que as pessoas entendem melhor isso são as de fora e também são os que mais nos apóiam”, frisou Ernesto Muacanda. A representante da VPA, Tchissola Mosquito, disse que “mais do que ter um espaço de leitura, a sua organização comoveu-se com a causa, por ser um espaço que funciona e que tem impacto e transforma a vida das pessoas”.

leave a reply