II intercâmbio cultural entre Angola e Brasil é realizado em Quatro províncias

O II intercâmbio cultural entre Angola e Brasil arrancou ontem, 7, na capital do país, e conta com um ciclo de formações, acções sociais e actividades culturais que se estenderão pelas províncias de Luanda, Bengo, Benguela e Huambo

As acções de formação serão orientadas por 23 artistas brasileiros e têm como objectivo facilitar o acesso às expressões culturais dos países africanos, bem como contribuir para o resgate histórico-cultural de África. O referido projecto conta com o apoio de várias associações culturais no país, como o coletivo Ombaka, Banga Artesanato e o Consulado Geral de Angola em São Paulo. De acordo com o coordenador do projecto, Isidro Sanene, pretende-se com o intercâmbio fortalecer os laços entre os dois países, por meio das suas culturas, que considera “parecidas”.

Segundo ele, a cultura angolana está visivelmente presente nas culturas brasileiras, especialmente nos povos do Norte daquele país, com frequência na comida, na dança e nos ritos das religiões de matrizes africanas. “A cultura angolana conversa muito bem com a cultura brasileira. O intuito do intercâmbio é de fortalecer os laços entre os dois países e permitir que os intercambistas brasileiros possam vivenciar uma parte do continente africano mais de perto, sentir as pessoas e o lugar”, observou.

O intercâmbio

Durante o processo formativo, os artistas brasileiros vão oferecer gratuitamente oficinas e cursos sobre a Economia Criativa, História, Teatro Pedagógico, oficinas de Música, Literatura, Dança, Contos, Espectáculos, lançamento de livros, amostras culturais e workshops para jovens, com direito a certificado de participação. Pretende-se com estas acções promover a troca de formação e informação sobre a nova forma de se fazer Cultura, de modos a trabalhar o lado autónomo de qualquer artista angolano.

Consta que a os artistas brasileiros são professores, gestores culturais, actores “experientes”, escritores, músicos e articuladores culturais que já dialogam com frequência as temáticas voltadas para o continente africano no Estado de São Paulo, Minas Gerais e Paraná. Isidro Sanene avançou que com base na I edição do intercâmbio tem sido ministrada no Brasil aulas de Umbundo, Kimbundo, Lingala e outras línguas africanas, com a colaboração de artistas angolanos. Durante a estadia do colectivo no país far-se-á visitas de turismo a locais históricos, roda de conversa com artistas e produtores culturais locais.

error: Content is protected !!