Unita pede à comunidade vigilância e denuncia de crimes

A preocupação foi manifestada pelo secretário provincial no Cuanza- Norte face ao actual índice de criminalidade que se regista um pouco por toda a região. Por esta razão, Rodrigo Escórcio, solicitou a participação da comunidade na vigilância e denúncia dos actos delituosos, atentatórios à paz e à tranquilidade dos cidadãos.

No final da IX reunião ordinária daquela organização partidária, realizada em Ndalatando, o político sublinhou que a vigilância e denúncia dos actos criminais por parte dos cidadãos, assim como a responsabilização dos seus autores, contribuiriam para a redução dos índices de delitos com o uso de armas de fogo, que vem aumentando nos últimos tempos em toda a província.

Os participantes na reunião apelaram igualmente às instituições afins no sentido de envidarem esforços para se encontrar melhores vias para prevenir e atenuar as acções delituosas dos marginais. A reunião analisou ainda a situação social e económica da província, bem como procedeu à avaliação das acções desenvolvidas pelo partido na região durante o primeiro semestre deste ano (2019), o processo de preparação das eleições autárquicas de 2020, entre outros assuntos.

Entretanto, o Comando Provincial da Polícia Nacional no Cuanza- Norte desmantelou desde 2015, nos 10 municípios da região, vários grupos de marginais, então considerados perigosos, suspeitos da prática de diversos crimes, entre os quais o de homicídio, na sua maioria com o uso de armas de fogo. Os dados da corporação indicam que dos mil e 707 crimes diversos notificados na província em 2018, 183 ocorreram no município de Cambambe, ficando abaixo apenas do Cazengo, município sede, com mil e 98 do total dos crimes.

leave a reply