IFC e Atlantico disponibilizam USD 50 milhões para as PME

Através de um acordo assinado entre a Cooperação Financeira Internacional (IFC, sigla inglesa) e o banco Atlântico (BMA), vai ser disponibilizada uma linha de crédito de USD 100 milhões, dos quais USD 50 milhões para financiar pequenas e médias empresas (PMES) e outros USD 50 milhões para abertura da carta de crédito internacional

Cooperação Financeira Internacional (IFC, sigla inglesa), o braço financeiro do Banco Mundial para apoio a projectos do sector privado, disponibilizou um empréstimo de longo prazo, no valor de 100 milhões de dólares para aumentar o crédito a pequenas e médias empresas e outro para apoiar a transacções de comércio internacional.

O acordo entre as duas instituições foi rubricado ontem, nas instalações do Banco Atlantico, em Luanda, pelo administrador do banco Atlantico Éder Sousa e pelo director regional da IFC para África e Médio Oriente, Manuel Reyes. Na ocasião, o director regional da IFC para África e Médio Oriente, Manuel Reyes, avançou à imprensa que o valor disponibilizado vai servir para apoiar as Pequenas e Médias empresas que necessitam de financiamento. Para já, avança que a principal missão do IFC é disponibilizar financiamento aos países sem olhar para questões referentes à corrupção dos países.

O responsável avança que espera pelo reembolso num período de sete anos. Por sua vez, o administrador do banco Atlantico, Éder Sousa, disse que o valor vai beneficiar as pequenas e médias empresas de todos os sectores da actividade, principalmente os sectores que contribuem para a diversificação da economia. Adiantou também que para além disso, o financiamento será destinado quer às empresas, quer as pequenas indústrias que cumpram os requisitos exigidos Desde já, avançou que entre os requisitos para beneficiar do financiamento constam ser uma pequena ou média empresa, com os objectivos finais desde o número de criação de empregos. “Vamos privilegiar todos os sectores que vão contribuir no processo de diversificação da economia”, esclareceu. Garantiu ainda que a linha está aberta a partir de agora e o Atlantico está disponível para ajudar as pequenas e médias empresas a nível do país.

Ao referir-se ao financiamento às PME, afirmou que o valor máximo a ser disponibilizado aos solicitantes é de cinco milhões de dólares. Reforçou ainda que os 100 milhões de dólares serão divididos em duas linhas de crédito, uma para financiar investimentos diversos das pequenas e médias empresas e USD 50 milhões para abertura de carta de crédito internacional, que vai servir para a importação de equipamentos.

A Cooperação Financeira Internacional (IFC) estima que cerca de 92% das pequenas e médias empresas em Angola não têm acesso a financiamento, o que equivale a um défice de financiamento de 34 mil milhões de dólares. Através deste apoio da IFC, o Atlantico pretende expandir o acesso ao financiamento por parte das PME.

error: Content is protected !!