Malnutrição mata mais de 70 crianças em cinco meses no Huambo

Setenta e três crianças morreram vítimas de malnutrição severa, entre os meses de Janeiro e Maio deste ano, na província do Huambo, revelou ontem, a supervisora da Nutrição local, Cármen Adelaide Agostinho Mossovela

As vítimas mortais fazem parte de um leque de mil e 341 doentes atendidos pelas autoridades sanitárias dessa província, consubstanciando um aumento de 30 por cento em comparação a idêntico período anterior.

Cármen Mossovela manifestou estar preocupada com o aumento de casos provenientes, na sua maioria, das zonas rurais dos municípios do Huambo, Caála, Bailundo, Mungo, Cachiungo e Londuimbali. Em declarações à Angop, ressaltou que durante todo o ano de 2018, as autoridades sanitárias haviam registado 123 óbitos, de um universo de mil e 632 casos diagnosticados. Entre as causas da doença, a supervisora da Nutrição no Huambo apontou o desmame precoce do bebé, por negligência ou ignorância

As vítimas mortais fazem parte de um leque de mil e 341 doentes atendidos pelas autoridades sanitárias dessa província, consubstanciando um aumento de 30 por cento em comparação a idêntico período anterior. Cármen Mossovela manifestou estar preocupada com o aumento de casos provenientes, na sua maioria, das zonas rurais dos municípios do Huambo, Caála, Bailundo, Mungo, Cachiungo e Londuimbali.

Em declarações à Angop, ressaltou que durante todo o ano de 2018, as autoridades sanitárias haviam registado 123 óbitos, de um universo de mil e 632 casos diagnosticados. Entre as causas da doença, a supervisora da Nutrição no Huambo apontou o desmame precoce do bebé, por negligência ou ignorância das mães, a carência dos alimentos, o consumo de produtos industrializados ao contrário dos naturais e a guarda do menor por uma outra pessoa, como sendo as principais causas da malnutrição Deste modo, apelou às mães a cumprirem com as regras de aleitamento materno, que deve ser obrigatório e exclusivo nos primeiros seis meses e, posteriormente, introduzir outros alimentos, em prol do desenvolvimento saudável da criança, que, por sua vez, deve ser amamentada até aos dois anos de vida.

Cármen Mossovela elucidou que o aleitamento materno, além de ser o melhor alimento para os bebés nos primeiros dias de vida, ajuda a prevenir o cancro da mama. A responsável informou que, entre os sintomas da doença, destaca- se o emagrecimento excessivo, edemas nos membros inferiores, a falta de apetite e outros indicadores. Para recuperar o estado de saúde, segundo a supervisora da Nutrição, o doente precisa ser alimentado a base do leite terapêutico F75 e F100, respectivamente, bem como do suplemento Plumpy- nut, produtos estes que a província tem recebido permanentemente, com vista a melhorar a prestação do atendimento médico e medicamentoso dos menores. Informou que a província do Huambo, Centro-Sul de Angola, conta com treze unidades especiais de tratamento de casos de malnutrição, instalados nos 11 hospitais municipais, incluindo no central e no centro materno infantil do bairro da Chiva, arredores da cidade do Huambo. Com 248 unidades sanitárias, sendo três hospitais de âmbito provincial, 11 municipais, 65 centros de saúde e 169 postos de atendimento médico, a província do Huambo, com uma extensão territorial de 35.771 quilómetros quadrados, possui uma população estimada em dois milhões, 519 mil e 309 habitantes.

leave a reply

error: Conteúdo Protegido!