Editorial: Prevenção e autarquias

O ditado é antigo e diz que no prevenir é que está o ganho. Pena é não ser mais ouvido por quem o deveria fazer. A bastonária da Ordem doas Médicos voltou a apelar, agora no Cuito, ao reforço da “medicina preventiva”, que deve passar pelos cuidados individuais da família, pela acção médica e também pela acção de entidades públicas, sobretudo na salubridade do meio e também na promoção de estilos de vida saudáveis. Dir-se-á que a acção das entidades públicas será melhorada após instauração das autarquias nos municípios, o que pode ter parte da verdade, em termos administrativos e financeiros, mas nunca se disse que onde não há autarquias não pode haver “gente” ou capacidade pensante, que é o que mais falta faz às localidades, do mesmo modo que a simples passagem para autarquias melhora a qualidade dos gestores públicos mu

error: Content is protected !!