Polícia quer mais colaboração para travar imigração ilegal

O comandante da Polícia em Cabinda, Eusébio Domingos e Costa, solicitou às autoridades tradicionais e aos coordenadores de bairros, desta província mais ao norte do país, maior colaboração na denúncia dos actos de criminalidade e de imigração ilegal dentro das respectivas comunidades.

Segundo Eusébio Domingos e Costa, que falava num encontro com as autoridades tradicionais, é fundamental estreitar a colaboração com essas entidades, por forma a permitir que a Polícia actue com maior profundidade nessas localidades.

Sublinhou que a actuação conjunta deve ser exercida, também de forma consciente, no combate à corrupção e na denúncia dos actos indecorosos dos agentes da corporação.

Trata-se de acções alinhadas para combater estes actos. A ideia é de não deixar impunes os agentes policiais que ainda persistem nestes actos que mancham o bom nome da Polícia.

Segundo o responsável, a situação da imigração ilegal continua a ser preocupante, pelo número elevado de cidadãos estrangeiros ilegais que chegam à cidade de Cabinda e às vilas da província.

Polícia apreende mais combustíveis 

A Polícia Nacional em Cabinda apreendeu, durante o I semestre do ano em curso, 72 mil 984 litros de combustíveis (gasolina e gasóleo) que seriam contrabandeados na vizinha República Democrática do Congo.

Em declarações à imprensa, o director do Gabinete de Informação e Análise do Comando Provincial da Polícia em Cabinda, Adão Maymba, informou que o contrabando de combustíveis ainda é preocupante e ganha contornos alarmantes.

Referiu que os resultados do I semestre têm a ver com o aumento das acções operativas nas principais zonas fronteiriças. No mesmo período, foram detidos 33 cidadãos angolanos e três nacionais da RDC envolvidos no contrabando de combustíveis.

error: Content is protected !!