Animais e lixo invadem perímetro do aeroporto do Soyo

A vandalização da vedação do perímetro do Aeroporto Comandante Ndozi, no Soyo, província do Zaire, bem como a construção bem anárquica de residências nas proximidades da pista afligem os gestores aeroportuários

foto de: Virgílio Pinto

O avanço das construções sobre o aeroporto do Soyo pode provocar graves constrangimentos à operação das aeronaves na pista e na zona reservada ao chamado táxi, de acordo com o director da referida instituição, José Mame.

O aeroporto tem uma pista com dois mil e 100 metros. Em entrevista exclusiva ao OPAÍS, revelou que as construções no perímetro da infra-estrutura podem comprometer o saneamento do recinto aeroportuário, ao ponto de originar a interdição do mesmo. “Temos de estar unidos para uma causa benéfica, porque se continuarmos a vandalizar a rede de vedação e a deitar lixo no interior, bem como a construir casas na proximidade do aeroporto, isso pode fazer com que entidades como o INAVIC, ou internacionais, o interditem”, detalhou.

De acordo com o responsável, o aeroporto é um ponto estratégico e deve ser bem conservado, uma vez que é usado tanto em situações normais como de emergência. Além de que é um dos meios imprescindíveis para o crescimento e a criação de riqueza. “Nós temos de procurar protegê-lo e controlar, de tal forma que não seja vandalizado”, disse Vida animal entre as preocupações Uma das maiores dificuldades que o responsável encontra é referente à vida animal.

Conta José Mame que as pessoas que estão a construir casas ao lado do aeroporto, como não têm local para depositar O avanço das construções sobre o aeropor to do Soyo pode provocar graves constrangimentos à operação das aeronaves na pista e na zona reservada ao chamado táxi, de acordo com o director da referida instituição, José Mame. O aeroporto tem uma pista com dois mil e 100 metros. Em entrevista exclusiva a OPAÍS, revelou que as construções no perímetro da infra-estrutura podem comprometer o saneamento do recinto aeroportuário, ao ponto de originar a interdição do mesmo. “Temos de estar unidos para uma causa benéfica, porque se continuarmos a vandalizar a rede de vedação e a deitar lixo no interior, bem como a construir casas na proximidade do aeroporto, isso pode fazer com que entidades como o INAVIC, ou internacionais, o interditem”, detalhou.

De acordo com o responsável, o aeroporto é um ponto estratégico e deve ser bem conservado, uma vez que é usado tanto em situações normais como de emergência. Além de que é um dos meios imprescindíveis para o crescimento e a criação de riqueza. “Nós temos de procurar protegê-lo e controlar, de tal forma que não seja vandalizado”, disse Vida animal entre as preocupações Uma das maiores dificuldades que o responsável encontra é referente à vida animal. Conta José Mame que as pessoas que estão a construir casas ao lado do aeroporto, como não têm local para depositar

Aeroporto funciona das 6 às 18 horas

O Aeroporto Comandante Ndozi funciona diariamente das 6 às 18horas. Em termos de operacionalidade, as aeronaves que regularmente aterram nesse aeroporto são da TAAG, SONAIR, SJL e da AIRJET. A SONAIR, SJL e a AIRJET em alguns momentos fazem voos triangulares. Segundo conta, José Mame, fazem Luanda – Cabinda – Soyo, outras, Soyo – Luanda e vice-versa.

Os gestores do aeroporto, conhecendo os constrangimentos, tudo fazem para receber condignamente os passageiros, seguido o estabelecido nas normas da aviação civil. José Mame afirmou que nunca registaram a apreensão de drogas ou outros meios que não são autorizáveis para a navegação por constituírem contrabando. Para ele, tudo isso se deve aos esforços e vigilância dos órgãos de segurança daquele aeroporto. “Isso, provavelmente pode ser a situação que faça com que estes traficantes não venham tentar fazer o uso do aeroporto para chegarem aos destinos que pretendem”, afirmou. Mais de oito mil passageiros por mês Em termos de gestão de pessoal, a equipa de José Mame é constituída por 23 técnicos, especialistas de diversas áreas, que trabalham diariamente.

O Aeroporto “Comandante Ndozi” tem sido palco de passagem de muitas pessoas que aí trabalham ou se deslocam para a única província angolana com um património mundial, a cidade de Mbanza Kongo, com o propósito de fazer turismo. José Mame diz que mensalmente mais de oito mil passageiros passam pelo aeroporto Comandante Ndonzi, nos dois sentidos, de embarque e desembarque.

leave a reply