Cimeira quadripartida destaca diálogo permanente na integração económica

A cimeira de Luanda foi uma iniciativa do Presidente angolano, João Lourenço, que endereçou convites aos seus homólogos Félix Tshisekedi, Paul Kagame e Yoweri Museveni.

Apesar dos esforços empreendidos pelas autoridades da República Democrática do Congo, em relação à pacificação do território nacional e da região, os Chefes de Estados e de Governo das Repúblicas de Angola, Uganda e de Rwanda, condenaram a persistência de grupos armados no Leste daquele país, por estar a obstaculizar o processo de paz em curso, acabando por atingir os países vizinhos.

Na cimeira quadripartida que Luanda albergou na manhã desta Sexta-feira (12), os Chefes de Estado e de Governo dentre vários assuntos, passaram em revista a situação política, económica e de segurança no continente, com destaque para a sua região.

Reconheceram o reforço da cooperação e integração económica dos quatro países, tendo sublinhado a importância do diálogo permanente, quer seja no plano bilateral, como no plano multilateral, para a consolidação da segurança, sendo esta a premissa fundamental para a integração económica.

Os Chefes de Estados acordaram a continuidade das suas consultas permanentes sobre aquelas questões de interesse dos quatro países. Sobre a cooperação, o Chefes de Governo comprometerem-se a continuar a prestar maior atenção, de modo a criarem um ambiente propício para o fomento da cooperação nos domínios políticos e económicos.

Sobre os resultados alcançados na 12ª Cimeira Extraordinária dos Chefes de Estados e de Governo da União Africana, ocorrida no dia 17 de Julho de 2019, ressaltaram o lançamento da parte operacional da Zona de Comércio Livre de África, abrindo novas perspetivas para a integração económica do continente.

error: Content is protected !!