MPLA defende denúncia de casos de nepotismo no Huambo

O MPLA, partido no poder em Angola, incentivou e encorajou ontem, Sexta-feira, na província do Huambo, a sociedade a denunciar os actos de corrupção, impunidade, nepotismo e bajulação, enquanto principais empecilhos para o desenvolvimento sustentável e bem-estar da população.

O facto foi realçado pela primeira secretária do partido nesta região, Joana Lina, durante o lançamento da campanha pública de moralização da sociedade, que decorrerá até 2020, sob o lema “Combater a corrupção, o nepotismo, a bajulação e a impunidade é garantir o futuro melhor e bem-estar das famílias angolanas”. Na ocasião, a dirigente partidária realçou a importância do envolvimento de toda a sociedade: “igrejas, famílias, órgãos da administração da Justiça, ONG, entre outras”, para tornar mais eficientes as políticas e medidas do Executivo relativamente ao combate à corrupção, por ser um mal que acarreta consigo muitos riscos. Para Joana Lina, a luta contra estes fenómenos deve ser inclusiva e participativa, desincentivando estas práticas através da denúncia e da criação de mecanismos de prevenção a nível das instituições e da família, esta última por ser o espaço onde tudo começa e termina, desde as coisas lícitas às ilícitas. Referindo-se sobre a campanha de moralização da sociedade, a primeira secretária do MPLA no Huambo disse que a mesma visa desencadear um amplo programa de resgate dos valores morais e cívicos, patrióticos, dos bons hábitos e costumes e de respeito aos bens públicos, que exige o engajamento de todas as forças vivas. Acrescentou que a campanha tem igualmente por objectivo o reforço do diálogo entre as famílias e a criação de debates, como forma de evitar práticas que retardam o crescimento sustentável e o bemestar comum, através da promoção da harmonização dos comportamentos.

error: Content is protected !!