“Alemanha possui elevado nível tecnológico que pode ser usado por empresas nacionais”

No último dia da maior montra de negócios do país, os holofotes estavam direccionados para o dia da Alemanha e sua delegação, cujas empresas participaram no evento. Na ocasião, o ministro da Economia e Planeamento, Pedro Luís da Fonseca, destacou a importância da parceria entre os dois países e a mais-valia da tecnologia alemã, que pode ser usada para o crescimento económico no país.

POR: Patrícia de Oliveira e Brenda Sambo

Alemanha e Angola pretendem estreitar relações a vários níveis, desde construção civil, agricultura para contribuir na diversificação económica. Segundo o ministro da Economia e Planeamento, Pedro Luís da Fonseca, a visita da delegação empresarial obteve bons resultados, traduzidos em dois factores, nomeadamente a conclusão de um conjunto de negócios durante os cinco dias da Feira Internacional de Luanda ( FILDA) e expectativas nas reformas e projectos que estão a ser feitos em Angola de natureza económica e bons ambientes de negócios. “Temos empresas alemãs a produzir em Angola para exportarem para a região da SADC”, referiu.

Segundo o ministro, muitas empresas alemãs possuem equipamentos com um elevado nível tecnológico que podem ser usados por empresas nacionais a fim de desenvolverem a produção, contribuindo para a diversificação e a subtracção das exportações. Por outro lado, foram efectuados negócios com a venda de máquinas para o sector da agricultura e indústria. “Queremos um maior número de parcerias e investimento entre empresários alemães e nacionais, permitindo trocas de experiências e know how”, disse. Pedro Luís da Fonseca referiu que a comunidade alemã realizou parcerias com empresários nacionais para beneficiar de cooperação e benefícios do país.

Alemanha disposta a criar parcerias com Angola Por sua vez, o presidente do Conselho Federal da República Federal da Alemanha, Daniel Gunther, disse estar disposto a criar parcerias púbico-privadas com empresas angolanas, mas também manifestou a necessidade de se melhorar o ambiente de negócios no país. Na ocasião, enalteceu as empresas alemãs instaladas no país que desejam continuar a aumentar os níveis de negócios. “As empresas alemãs situadas em Angola podem contar com o nosso apoio para contribuir em favor do desenvolvimento económico deste país”, referiu.

Segundo o responsável alemão, muitas empresas do seu país já mostraram interesse em participar na próxima edição da FILDA 2020. Na FILDA, estiveram representadas um total de 11 empresas alemãs dos ramos da energia, construção civil, tecnologias, nomeadamente, a Bosch Tractbel, Krones, Inzag e a Siemens . Actualmente, estão instaladas no país 21 empresas alemãs, das quais oito são de energias, duas do ramo da agricultura, seis de tecnologia, quatro do ramo da alimentação, mais uma do turismo, quatro do sector dos transportes e três do ramo da construção civil.

error: Content is protected !!